BESSA GRILL
Início » Notícias » Denúncias de irregularidades afastam Dênis Pontes da Câmara do Conde

Denúncias de irregularidades afastam Dênis Pontes da Câmara do Conde

Como Dênis Pontes está ausente dos trabalhos legislativos, ele responderá às denúncias em 15 dias, quando volta de sua licença médica.

3/03/2015 11:43

 

EJOIB-1Mesmo tendo entrado em licença para tratamento de saúde na semana passada, o presidente da Câmara de Conde, Dênis Pontes (PR), foi denunciado na sessão de ontem. Os autores da denúncia contra o parlamentar são os vereadores governistas Fábio Tatu e Emerson Eneas. Foi lido um documento contendo 24 páginas nas quais os parlamentares citaram dispor de provas de supostas irregularidades como uso de diárias indevidas, nepotismo, contratação de empresas fantasmas e de serviços indevidos, etc. Por unanimidade, foi aprovado o requerimento e o imediato afastamento do chefe do legislativo.

 

Como Dênis Pontes está ausente dos trabalhos legislativos, ele responderá às denúncias em 15 dias, quando volta de sua licença médica.

 

Quem responderá pela presidência, por enquanto, é o vice-presidente da Casa, Manga Rosa. Ontem, pouco antes da sessão, ele teve dois pneus de seu automóvel esvaziados e quem abriu os trabalhos foi o primeiro secretário, Sanderson Duarte.

 

Entenda o caso – A Câmara do Conde tem sido palco de muita confusão desde o dia 20 de fevereiro, quando os parlamentares ameaçaram processar o presidente do legislativo. Fábio Tatu e Emerson Eneas adiantaram que dispunham do apoio de todos os parlamentares para concretizar o afastamento de Dênis Pontes e proceder investigações que levariam à cassação do mandato dele. Encurralado, o presidente prometeu e chegou a assinar o termo de renúncia que deveria ser lido na sessão seguinte. Uma briga, entretanto, embolou ainda mais a situação. No dia em que a renúncia seria oficializada, os vereadores Fábio e Emerson quebraram um microfone e notebooks da Casa em um desentendimento com Naldo Cell. Especula-se que quisessem adiar a eleição da mesa diretora, já que naquele momento a oposição à prefeita Tatiana Correia tinha maioria. Os dois parlamentares chegaram a ser presos junto com o secretário de Comunicação do Condem Allyson Campelo, por desacato à autoridade. Dênis, em meio ao tumulto, disse que estava sentindo-se mal e foi levado ao hospital, apresentando um pedido de licença em seguida.

www.reporteriedoferreira.com