BESSA GRILL
Início » Cidades » CRM-PB interdita mais duas unidades de saúde; já são 13 este ano

CRM-PB interdita mais duas unidades de saúde; já são 13 este ano

22/02/2013 22:08

Outras duas unidades de saúde foram interditadas eticamente pelo Conselho Regional de Medicina (CRM) na Paraíba. A primeira foi o Pronto Atendimento do Posto de Saúde Anilda Souto Rocha na cidade de Capim, a 40 km de João Pessoa. O conselho também interditou o Centro de Saúde Sebastiana de Souza Cabral, no município de Cuité de Mamanguape, distante 50 km da Capital do Estado. Com estas, são 13 interdições do CRM-PB este ano.

De acordo com o diretor do Departamento de Fiscalização do CRM-PB, Eurípedes Mendonça, as duas unidades de saúde funcionam 24 horas, no entanto sem enfermeiros e médicos presenciais durante o período. O centro de saúde de Cuité de Mamanguape só funciona com técnicos de enfermagem. Dentre outras irregularidades, a ambulância de Capim não tem licença sanitária da Agência de Vigilância Sanitária (Agevisa), nem suporte para soro.

“O médico que prescreve medicação injetável e não está presente na unidade para, ao término da administração do medicamento, avaliar o paciente, proceder a alta com orientações ou mesmo recomendar internação ou transferência para outra unidade, comete infração grave ao Código de Ética Médica, por abandono de paciente”, disse Eurípedes Mendonça.

A médica fiscal, Cândida Fernandes, que também participou da visita, afirmou que as interdições iniciam-se a partir de meia noite desta sexta-feira. “Logo que as não conformidades sejam sanadas, o CRM deve ser notificado para uma nova avaliação”, explicou a médica. Com esses dois autos, o CRM-PB já interditou 13 unidades de saúde neste ano de 2013.

O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) já interditou outras 11 unidades de saúde no estado em 2013. Eurípedes Mendonça explicou que para as unidades que foram interditadas voltarem a funcionar elas precisam corrigir os problemas que foram apontados e informar ao CRM. Depois disso é feita uma nova inspeção para comprovar se elas de fato estão habilitadas para retomar o funcionamento normal.

 

 

 

 

do G1PB