BESSA GRILL
Início » Esportes » Com gol do estreante Leonardo, Vasco vence a terceira seguida

Com gol do estreante Leonardo, Vasco vence a terceira seguida

Atacante entra no lugar de Carlos Alberto, que sai machucado, perde gol incrível, mas deixa o seu na vitória por 4 a 2 sobre o Resende

27/01/2013 01:06

Vasco_AE_630

Se o começo do ano foi cercado de dúvidas em relação ao que o elenco do Vasco poderia produzir, o ponto de interrogação vai dando lugar a uma tímida exclamação. Exclamação na comemoração pela terceira vez seguida na Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca. Afinal, a vitória por 4 a 2 sobre o Resende, na noite deste sábado, no Raulino de Oliveira, garante os 100% de aproveitamento em três rodadas disputadas.

Aliás, desde que Gaúcho assumiu, no fim de 2012, a torcida não sabe o que é derrota. Ainda pelo Brasileirão, dois empates (Atlético-MG e Flamengo) e duas vitórias (Coritiba e Fluminense) na reta final. Mas o alerta não pode ser desligado. Apresentando uma fragilidade defensiva e um excessivo número de passes errados, os gols de Bernardo (dois), Dedé e do estreante Leonardo por pouco de nada adiantaram. Dudu e Marcel marcaram para o Resende e quase mantiveram o ritual de não perder para o adversário como nos últimos dois anos.

Na liderança do Grupo A, o Gigante da Colina chegou a nove pontos e é o líder. Com a derrota do Friburguense, são três pontos de vantagem para o segundo colocado. O Resende é o quinto no Grupo B, com dois pontos. Na próxima rodada o Vasco tem o clássico contra o Flamengo, quinta-feira, às 19h30, no Engenhão. O Resende volta ao Raulino de Oliveira para enfrentar o Volta Redonda, também na quinta, mas às 20h.

Na base da bola parada

O esquema 3-6-1 armado por Eduardo Allax parecia uma barreira difícil de transpor, com três zagueiros e dois volantes. A marcação por pressão nos minutos iniciais e, por vezes, quase todos os jogadores no campo de defesa, parecia surtir efeito. O número de passes errados pelo lado cruz-maltino indicava uma certa afobação em concluir as jogadas, gerando alguns contra-ataques.

No entanto, dez minutos foram suficientes para quebrar a disputa tática. Uma alternativa ao gramado ainda pesado pela chuva que caiu em Volta Redonda era a jogada aérea. E assim a bola parou no fundo do gol. Bernardo cobrou falta pelo lado esquerdo em direção aos seus companheiros, ninguém tocou e quando o goleiro Mauro pulou, já era tarde demais.

Mas o gol não mudou a frequência de passes errados. Em uma bobeada de Bernardo, o Resende aproveitou o presente e pegou o contra-ataque. Elias, isolado e sem muitas alternativas, trombou com a defesa e a bola sobrou para Léo, livre, chutar para fora. Chance que Carlos Alberto também teve. Com direito a um lindo drible antes da finalização e aplausos dos companheiros mesmo com o chute não atingindo o objetivo.

Os aplausos, depois, foram direcionados a um cachorro que invadiu o gramado antes de cobrança de falta do Resende, paralisando a partida por um minuto. Desfilando em campo, cativou a torcida cruz-maltina, que chegou a gritar “Ah, é Edmundo!”, lembrando do ídolo que foi apelidado de Animal. O cachorro deixou o campo e Carlos Alberto também. O meia pediu para ser substituído por sentir um problema na coxa esquerda e deu lugar ao estreante Leonardo.

Quem entrou como centroavante mesmo foi Dedé. Bernardo cobrou escanteio aos 39 e o zagueiro, para delírio da torcida, ampliou de cabeça. O Vasco não contava é que, a mesma arma que funcionou do seu lado, também funcionaria contra, restando um minuto para o fim do primeiro tempo. Em uma falha coletiva, ninguém subiu para impedir que Dudu desviasse cobrança de falta.

Leonardo azarado, Leonardo sortudo

O ritmo em campo não mudou na volta do intervalo. A chuva, agora, era de gols. Com dois minutos, Leonardo fez boa jogada no meio e tocou na frente para Bernardo contar com o desvio no adversário que matou o goleiro Mauro. Mas o mesmo Leonardo que deu a assistência, perdeu uma chance clara de gol. Eder Luis tocou na medida, e quase em cima da linha o atacante mandou para fora. Azar maior foi pregado na sequência. Pedro Ken errou mais um passe e Léo avançou em contra-ataque até tocar na medida para Marcel diminuir.

O Resende cresceu. E foi para cima. Aproveitou alguns espaços deixados, mas o empate não veio. Até que o Vasco começou a ocupar novamente o campo ofensivo com mais perigo. Dieyson e Dakson entraram nos lugares de Wendel e Jhon Cley. No entanto, a substituição forçada do primeiro tempo foi a que surtiu efeito. Leonardo, na estreia, aos 36, contou com um desvio em Léo Silva para dar números finais ao placar.

G1