BESSA GRILL
Início » Destaque » Cássio quer vice do Nordeste para Aécio e diz que pacto com Campos funcionou

Cássio quer vice do Nordeste para Aécio e diz que pacto com Campos funcionou

Cássio descarta definição da eleição em primeiro turno

3/05/2014 06:09

Um dos principais estrategistas da campanha do presidenciável Aécio Neves, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) trabalha com a certeza de que a disputa eleitoral só será decidida em segundo turno:

– Todas as pesquisas apontam a queda constante da presidente Dilma e a subida sustetada dos candidatos da oposição. O pacto de não agressão entre Aécio e Eduardo Campos funciona e está empurrando o governo para as cordas, disse Cunha Lima ao 247, durante o Fórum Emprearial de Comandatuba, na Bahia.

– Estamos executando a estratégia correta desde o ano passado. Os resutados estão aparecendo agora, sublinhou ele.

O senador, no entanto, não enxerga uma caminhada fácil para nenhum dos candidatos.

– Já está claro que está será uma eleição bastante instável, e isso é muito ruim para o governo, que é quem tem mais a perder, refletiu. “A esta altura, quem sabe ler as pesquisas vê claramente que a hipótese de solução em primeiro turno não existe mais. Além disso, se o governo não tiver um pouco de sorte, os dois candidatos da oposição podem muito bem passar para a segunda volta.

Para Cunha Lima, está no Nordeste a solução para seu amigo mineiro resolver a eleição. O ex-governador da Paraíba lembra que, em 2010, a então candidata Dilma Rousseff abriu 10 milhões de votos de frente para o tucano Aécio Neves exatamente no Nordeste.

– Agora, já resolvemos a Bahia, com um acordo que pelo menor dividirá o eleitorado. Em Pernambuco, o Eduardo resolveu isso para nós, porque vai sair de lá bem forte, sem abrir espaço para o candidato oficial. Falta acertarmos as coisas no Ceará, afirmou.

O ex-senador Tasso Jereissati é um dos cotados para ficar com o lugar de vice na chapa de Aécio, mas está em curso um acordo com a ala paulista do PSDB, que poderá levar o ex-governador José Serra ou o senador Aloysio Nunes Ferreira a ocupar esse lugar:

– Acho que o eleitorado de São Paulo, independentemente de estar representado diretamente na chapa, nos dará uma votação expressiva. Nosso foco, hoje, deve ser trabalhar para diminuir a distância que nos separa da candidata do governo no Nordeste.

Para Cunha Lima, “se o eleitorado se comportar da mesma maneira que na última eleição, não podemos perder a chance de nos reforçarmos onde Dilma e Eduardo são forte hoje”.

O estrategista tucano não espera um novo grande salto do presidenciável do PSDB nas próximas pesquisas. No último levantamento CNT/MDA, Aécio Neves deu um salto de cinco pontos percentuais em relação ao que tinha em fevereiro.

– Quando sentar na cadeira do Jornal Nacional, ou seja, depois da Copa do Mundo, Aécio terá um terço do eleitorado ao seu lado. Dali para a frente, o crescimento será mais rápido.

Brasil 247