BESSA GRILL
Início » Notícias » Caso Rebecca; Promotor insinua participação de PMs no assassinato

Caso Rebecca; Promotor insinua participação de PMs no assassinato

Promotor aponta variáveis no crime de Rebecca e insinua participação de PMs no assassinato

4/08/2014 15:09

 
Marinho-MendesO promotor de Justiça Marinho Mendes, em entrevista ao Sistema Arapuan de Comunicação, disse não ter dúvidas no envolvimento de pessoas do Colégio Militar no assassinato da jovem Rebecca Cristina, de 15 anos, encontrada morta no dia 11 de julho de 2011, na Praia de Jacarapé.

De acordo com o promotor, o tio de Rebeca, o cabo Alcântara, que trabalha no educandário, tomou conhecimento de que a saia de Rebecca foi encontrada ao lado da escola e com essa informação o PM ficou tão alterado ao ponto dele ter disparado, sem querer, a sua pistola calibre 3.80, dentro do carro.
Marinho Mendes afirmou que os exames apontam que a o tiro que matou Rebeca partiu de uma pistola 3.80 “e porque essas variáveis, essas linhas nunca foram investigadas,”? , indagou o promotor ao acrescentar que o laudo cadavérico de Rebeca aponta que o órgão genital da menina foi praticamente destruído e lá não ficou sêmen e que foram encontrar sêmen no anus, também uma coisa que os peritos ficaram horrorizados. “Isso quer dizer que foram mais de um e a polícia fica correndo atrás de um só”, denunciou.
O representante do Ministério Público disse que todas pessoas citadas, o cabo Alcântara, o Patrick e o Carioca foram ouvidas superficialmente. “A polícia está a procura do dono sêmen, quando tem provas, a polícia tem rastreamento telefônico de pessoas envolvidas no caso e porque não chega a uma conclusão”? indagou mais uma vez.
O promotor sugeriu que o governador do Estado, que o chefe do aparelho de segurança, escale um delegado especialmente para o caso, com estrutura, auxiliares, automóveis e com peritos para fazer a perícia principalmente na pistola de Alcântara, que não foi feita. “O nosso medo é que a polícia aponte para pessoas que não têm nada a ver, como é o caso do padrasto de Rebeca, nós acreditamos que ele não esteja envolvido, mas tem gente já querendo tê-lo como alvo e tem que correr atrás desse processo integral e total pois esse crime tem que ser desvendado”, desabafou o promotor.

Fonte: MT PB / BayeuxJovem