BESSA GRILL
Início » Esportes » Aos 83 anos, Morre Bellini, responsável por imortalizar gesto de levantar taça de campeão

Aos 83 anos, Morre Bellini, responsável por imortalizar gesto de levantar taça de campeão

Capitão da seleção brasileira na Copa de 1958 faleceu nesta quinta, aos 83 anos. Ele sofria do Mal de Alzheimer

20/03/2014 20:42

Morreu no fim da tarde desta quinta-feira o primeiro homem a erguer uma taça de campeão mundial de futebol. Hideraldo Luís Bellini, capitão da seleção brasileira na Copa de 1958, faleceu aos 83 anos, em São Paulo. O ex-jogador sofria do Mal de Alzheimer há uma década e estava internado em estado grave no Hospital Nove de Julho desde a última terça. O horário da morte foi entre 17h30 e 18h. Ele será enterrado em Itapira, no interior paulista, sua cidade natal.

Em 2008, Hideraldo Luiz Bellini participou do lançamento do Anuário do Futebol Brasileiro, em São Paulo. Foto: Marcelo Ferrelli/ Gazeta Press
8/9

Bellini foi o responsável por criar o gesto de levantar o troféu de campeão do mundo sobre a cabeça. O ato, feito para atender a um pedido dos fotógrafos após a vitória do Brasil por 5 a 2 sobre a Suécia, foi ali imortalizado. Desde então, é repetido por outros capitães em todo o planeta.

Um dos líderes do elenco brasileiro em 1958, o zagueiro esteve também na conquista do bi, quatro anos mais tarde, no Chile. Ele disputou também o Mundial de 1966, na Inglaterra, quando a seleção nacional caiu na primeira fase.

Divulgação/Maracanã

Em homenagem a Bellini, Maracanã foi iluminado em verde e amarelo nesta quinta-feira

O ex-jogador começou sua carreira no pequeno Itapirense, time da cidade onde nasceu, e passou ainda pelas categorias de base do Sãojoanense, de São João da Boa Vista, antes de chegar ao Vasco, onde ficou de 1952 a 1961. Após 11 anos e três títulos cariocas, Bellini é até hoje considerado um dos maiores zagueiros da história do clube cruz-maltino.

A sequência da carreira foi no São Paulo. Mas, em uma fase de vacas magras devido à construção do Morumbi, Bellini não conquistou nenhum campeonato de 1962 a 1967, a seis temporadas que passou no time paulista. Em 1968, foi para o Atlético-PR, onde se aposentou no ano seguinte.

Com a morte de Bellini, apenas sete campeões de 1958 estão vivos: Zito, Zagallo e Pepe, Pelé e Dino Sani, Moacir e Mazzola.

“Me encontra no Bellini”

É atribuída a Bellini a estátua que fica em frente à entrada principal do Maracanã. O monumento, que homenageia todos os campeões mundiais de 1958, é tradicional ponto de encontro entre torcedores cariocas. Mesmo sem retratar especificamente o ex-zagueiro, a fama pegou e “me encontra no Bellini” se tornou frase comum entre os frequentadores do estádio.

Do Ig