BESSA GRILL
Início » Notícias » Plantão: Promotora expulsa professora do MP em Cajazeiras.

Plantão: Promotora expulsa professora do MP em Cajazeiras.

o caso foi parar na delegacia de polícia e magistério municipal quer retratação da Promotora de Justiça.

16/11/2013 18:54

professora expulsaA professora e coordenadora do Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Cram), Suzane Alves da Silva, Lêide Gomes Pereira denunciou nessa quarta-feira (13), a promotora recém-chegada a Cajazeiras, Flávia Cesarino. O Cram pertence a Secretaria Municipal da Mulher de Cajazeiras.

Segundo a coordendora, precisou ir até o Minitério Público acompanhar uma mulher, onde precisou falar com Flávia Cesarino e não foi bem atendida pelo funcionário do Órgão, identificado por “Braz”

Lêide disse que comentou o fato com a promotora, sendo o suficiente para que a mesma se alterasse, gritasse na sala e pedisse a um segurança do Ministério Público que retirasse a coordenadora do seu gabinete.

“Ela gritou e disse que no funcionário do Ministério Público ela mandava, e mandou um segurança me tirar do local. Foi muito humilhante”. Declarou Lêide

A coordenadora lamentou porque as mulheres que estavam sendo acompanhadas ficaram constrangidas com a aitude da promotora. “A promotora agiu de forma arbitrária e eu fiquei pensando se as mulheres tivessem sozinhas como elas seriam atendidas?”

Secretaria

A secretária da Mulher, Andréa Coutinho (PSB) foi até a delegacia de Polícia Civil nesta quinta-feira (14), para denunciar o caso, pois segundo ela, não adminte que uma mulher no exercício da função seja destratada dentro do Minisitério Público.

“Não admito que isto aconteça, pois as conquistas das mulheres são resultados de muitas lutas, e não será uma pessoa desequilibrada que vai derrubar nosso trabalho em Cajazeiras”. Disse a socialista

Andréa informou que está articulando os movimentos populares de apoio às mulheres, o Conselho Nacional dos Direitos da Mulher (CNDM), a Secretaria de Diversidade Humana da Paraíba, O Conselho Nacional dos Direitos Humanos e a Rede de Apoio a Mulher para que fatos desta natureza não voltem a aconter no município.

“A nossa funcionária estava acompanhando uma vítima de violência que está tentando proteger suas filhas menores de idade e passou uma aflição enorme com a atuação dessa promotora”. Denunciou Andréa

A Secretária disse que vai exigir do Ministério Público que a promotora se retrate com a funcionária da prefeitura e principalmente com a vítima, que foi para solucionar um problema e saiu com dois.

“Fico imaginando essas pessoas indo sozinhas ao Ministério Público como são tratadas, pois a coordenadora do CRAM bateu na porta de quarto promotores e ainda teve esse tipo de atendimento” Lamentou Andréa.

 

O outro lado

A reportagem tentou ouvir a promotra Ana Graziele, porém foi informada que a mesma não estava no Ministério Público, e segundo o atendente, os servidores não têm autorização para fornecer números de telefones pessoais das autoridades(Diário do Sertão )

Acusado de matar jovem a golpes de faca na região de Cajazeiras é condenado a 22 anos de prisão

121 sertão

O tribunal do Júri da Comarca de São João do Rio do Peixe se reuniu nessa quinta-feira (14), onde realizou o julgamento de Cleber Gonçalves de Abrantes, de 28 anos, conhecido por “Clebinho”. O jovem foi condenado a 22 anos e 06 meses de reclusão iniciando em regime fechado.

Clbeinho é acusado de um crime de morte, foto ocorrido na madrugada do dia 17 de outubro de 2012 na cidade de São João do Rio do Peixe, que teve como vitima, Francisco Nélio Batista Soares 32 anos, que foi assassinado a golpes de faca.

O crime ocorreu na residência do acusado localizada na Rua Conegundes da Guerra Passos no bairro da gruta naquela Cidade, o foi se deu após uma discussão entre vítima e acusado, onde os dois possivelmente estivessem usando drogas.

Após o delito o acusado fugiu tomando rumo ignorado várias viatura de São João, Uiraúna e Cajazeiras entraram em diligências e conseguiram prender o mesmo que ficou na cadeia publica até o julgamento.(folhado vale)

Homem agride companheira, tenta atear fogo na própria casa e acaba preso em Cajazeiras

bateu na mulher

Vanderlei foi preso em Cajazeiras.

A Polícia Militar de Cajazeiras prendeu na noite dessa sexta-feira (15), Vanderlei Gomes da Silva, de 30 anos, acusado de agredir a companheira. O jovem é morador do Bairro Por do Sol.

De acordo com informações da polícia, Vanderlei estava sob efeito de droga e armado com uma faca ameaçava também tirar a própria vida.

A reação do acusado na tentativa de se suicidar ocorreu logo após a chegada da polícia. Ele ameaçava ainda, atear fogo na casa.

Os policiais utilizaram a arma taser para conter Vanderlei, que foi levado para a Delegacia de Polícia.(Diário do Sertão)