BESSA GRILL
Início » Internacionais » Passagem do Tufão Utor pela China deixa pelo menos nove mortos

Passagem do Tufão Utor pela China deixa pelo menos nove mortos

Outras quatro pessoas ainda estão desaparecidas no sul do país. No norte, outras inundações causaram pelo menos 25 mortes.

17/08/2013 09:15

 

Pelo menos nove pessoas morreram e outras quatro seguem desaparecidas após a passagem do tufão Utor pela China, o qual castiga as províncias de Cantão e Guangxi – ambas no sul do país – desde a última quarta-feira com fortes chuva e ventos, informou neste sábado (17) a agência oficial “Xinhua”.

As últimas vítimas são três pessoas que ficaram soterradas após dois deslizamentos de terra registrados nesta madrugada, cujos corpos foram resgatados no início da tarde, informaram as autoridades locais, que apontou as fortes chuvas como causa dos desabamentos.

Grupo é forçado a levar dinheiro em caixas por região alagada na China, após pasagem do Tufão 'Utor'. (Foto: Reuters)Grupo é forçado a levar dinheiro em caixas por região alagada na China, após pasagem do Tufão ‘Utor’. (Foto: Reuters)

No total, cinco das nove vítimas foram registradas em Guangxi, enquanto as outras quatro, junto aos outros quatro desaparecidos, são cidadãos da província de Cantão, onde o Utor tocou terra na tarde da última quarta.

As autoridades calculam que a tempestade de vento tenha afetado mais de 2,5 milhões de pessoas, das quais 321,5 mil foram evacuadas, especialmente na cidade de Maoming, situada em Cantão, uma das mais afetadas pelo tufão.

As fortes chuvas e as posteriores inundações destruíram quase 4 mil casas nas províncias de Cantão e Guangxi, onde, já com menos intensidade, os efeitos do tufão se prolongarão nos próximos dois dias.

O Utor, o 11º tufão que afeta à China neste ano, causou pelo menos sete mortes e deixou quatro desaparecidos nas Filipinas.

Segundo as autoridades provinciais, somente na província de Guangxi, as perdas econômicas pela passagem da tempestade chegam a US$ 18,2 milhões.

Norte do país
Nas províncias chinesas de Heilongjiang, Jilin e Liaoning, todas situadas no nordeste do país, inundações causaram pelo menos 25 mortes até o momento, depois que neste sábado as autoridades provinciais confirmassem o resgate três corpos de pessoas que seguiam desaparecidas.

Segundo a agência oficial “Xinhua”, o maior número de vítimas foi registrado ontem em um complexo residencial da cidade Hongshi, na província de Jilin, onde 11 pessoas morreram.

Em Heilongjiang, província na fronteira com a Rússia, 11 vítimas foram registradas nos últimos sete dias, além de três desaparecidos, com mais de 2 milhões de pessoas foram desabrigadas.

As autoridades enviaram a mais de 5 mil oficiais e soldados às zonas afetadas com o objetivo de atender os desabrigados, reforçar os diques de contenção e deter vazamentos, informou um porta-voz do Exército à agência “Xinhua”.

G1