BESSA GRILL
Início » Internacionais » Papa pede fim do banho de sangue na Síria e libertação de bispos

Papa pede fim do banho de sangue na Síria e libertação de bispos

Bispos sequestrados ainda não foram achados após anúncio de libertação. Francisco já havia pedido paz na Síria em mensagem de Páscoa.

24/04/2013 09:34

O Papa Francisco pediu nesta quarta-feira (24) o fim do banho de sangue na Síria e voltou a pedir a libertação dos dois bispos ortodoxos sequestrados no país, durante a audiência geral na praça de São Pedro.

“Renovo o pedido para que cesse o banho de sangue na Síria e se encontre uma solução rápida à crise”, disse o pontífice, que reiterou o pedido para que “possam retornar em breve para casa” os dois bispos ortodoxos sequestrados em Aleppo, desmentindo assim as informações de terça-feira (23) sobre a libertação.

Papa Francisco passa por fiéis ao chegar a audiência na Praça São Pedro nesta quarta-feira (24); ele pediu o fim do banho de sangue na Síria (Foto: Alessandro Bianchi/Reuters)Papa Francisco passa por fiéis ao chegar a audiência na Praça São Pedro nesta quarta-feira (24); ele pediu o fim do banho de sangue na Síria (Foto: Alessandro Bianchi/Reuters)

Diante de quase 100.000 pessoas que acompanharam a audiência geral, o Papa voltou a pedir a paz na Síria, como havia solicitado em sua mensagem de Páscoa.

Na mensagem “urbi et orbi”, o pontífice argentino se pronunciou pela primeira vez contra os conflitos “sangrentos” que afetam o planeta.

Diocese sem notícias
A diocese das igrejas ortodoxas síria e grega de Aleppo, norte da Síria, não tem notícias dos dois bispos sequestrados na região, informou à AFP o padre Ghasan Ward, depois que uma associação cristã afirmou que os religiosos haviam sido liberados.

“Não temos nenhum contato com o monsenhor Yuhana Ibrahim, bispo siríaco ortodoxo de Aleppo, e com o monsenhor Bulos Yazigi, bispo ortodoxo grego da mesma cidade”, disse o padre.

Bispos sequestrados foram libertados na Síria (Foto: AP)Bispos sequestrados na Síria (Foto: AP)

O governo da Grécia também afirmou que não acredita na libertação dos bispos.

A associação cristã “Obra do Oriente”, que citou fontes sírias, informou na terça-feira que os bispos ortodoxos sequestrados na segunda-feira haviam sido liberados.

Os dois religiosos foram sequestrados na segunda-feira em Kafr Dael, perto de Aleppo, durante uma operação humanitária, informaram fontes de suas dioceses.

Nesta quarta-feira, combates violentos foram registrados pela primeira vez no aeroporto militar de Mingh, na região de Aleppo, um dos principais redutos do exército no norte do país, informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

“Os rebeldes, que cercam o aeroporto há meses, entraram no local pela primeira vez durante a madrugada”, declarou o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman.

G1