BESSA GRILL
Início » Internacionais » Obama conversou com Abbas e Netanyahu por telefone

Obama conversou com Abbas e Netanyahu por telefone

Obama saudou a 'liderança e a coragem' de Abbas e de Netanyahu. Presidência americana reiterou que apoiará as negociações.

2/08/2013 02:16

130730122120_jerusalem_464x261_afp_nocredit

O presidente Barack Obama conversou por telefone, nesta quinta-feira (1º), com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e com o presidente palestino, Mahmud Abbas, após a retomada do diálogo direto de paz esta semana, anunciou a Casa Branca.

Obama saudou a ‘liderança e a coragem’ de Abbas e de Netanyahu por aceitarem retomar as negociações de paz, disse a Casa Branca.

Em dois comunicados separados, mas praticamente idênticos divulgados depois dos dois telefonemas, a presidência americana reiterou que apoiará as negociações entre as duas partes.

O presidente garantiu a Netanyahu que nos próximos meses os Estados Unidos apoiarão as partes ‘plenamente em seus esforços para obter a paz’.

Na carta enviada a Abbas, Obama destaca que ‘os Estados Unidos estão prontos para apoiar as partes visando uma paz justa e duradoura com base na solução de dois Estados’.

Os negociadores israelenses e palestinos, que depois de três anos de paralisia retomaram seu diálogo direto com o estímulo dos EUA, decidiram na última terça se reunir novamente em duas semanas. O objetivo é chegar a um acordo final em nove meses.

As duas partes vão se reunir, em Israel, ou nos Territórios Palestinos, e ‘nosso objetivo será’ alcançar um ‘acordo sobre o status final no decorrer dos próximos nove meses’, disse o secretário de Estado americano, John Kerry, aos jornalistas.

Na terça-feira passada, Obama recebeu os negociadores israelenses e palestinos e elogiou a ‘coragem’ demonstrada por ambos os lados, disse o porta-voz presidencial, Jay Carney.

O presidente americano transformou a solução do conflito no Oriente Médio em uma das prioridades de seu primeiro mandato em janeiro de 2009, antes do fracasso das negociações. Os últimos diálogos diretos de paz encalharam em setembro de 2010, ao fim de três semanas, porque Israel deu continuidade à colonização israelense de Jerusalém Oriental e Cisjordânia.

G1