BESSA GRILL
Início » Internacionais » No Paquistão Homem-bomba mata 11 em mesquita xiita

No Paquistão Homem-bomba mata 11 em mesquita xiita

2/11/2015 02:07
Muçulmanos xiitas se reúnem em mesquita após ataque suicida de um homem-bomba em Chalgari, no Paquistão, na quinta (22) (Foto: AFP Photo/Fida Hussain)Muçulmanos xiitas se reúnem em mesquita após ataque suicida de um homem-bomba em Chalgari, no Paquistão, na quinta (22) (Foto: AFP Photo/Fida Hussain)

Um homem-bomba detonou nesta quinta (22) os explosivos que levava consigo, matando ao menos 11 xiitas – seis deles crianças – e ferindo pelo menos 12 outros em uma remota cidade do sudoeste do Paquistão.

O ataque aconteceu quando os fiéis se reuniram na mesquita para observar o sagrado mês do Moharram, em Chalgari, Baluquistão, 170 km a sudoeste da capital, Quetta.ras ficaram feridas quando um suicida se explodiu em uma mesquita xiitta”, havia dito mais cedo à AFP o ministro do Interior da província, Sarfraz Bugti.

Horas depois, um dos feridos morreu, aumentando o número de mortos para 11, atualizou o oficial de segurança, Tariq Zahri, também em declarações à AFP.

O funcionário da administração local, Mohammad Waseem, confirmou o ataque e o número de mortos.

Bugti disse que havia seis crianças entre 10 e 12 anos e algumas mulheres entre os mortos.

Waseem contou que o suposto terrorista suicida parecia ter 18 anos e que estava disfarçado com uma burqa, traje feminino muçulmano que cobre todo o corpo, dos pés à cabeça.

Bashir Khan, uma testemunha do ataque, contou à AFP que o suicida tentava entrar no salão da mesquita, mas foi interceptado pela segurança e se explodiu no pátio do edifício, onde crianças brincavam.

“Há sangue por toda parte, além de restos humanos e sapatos espalhados”, disse Khan.

“As pessoas colocaram os feridos em carros particulares e os levaram para suas cidades, pois não há hospitais aqui”, acrescentou.

A violência religiosa, em particular aquela lançada por militantes sunitas contra xiitas, que compõem menos de 20% da população paquistanesa de 200 milhões de pessoas, já matou milhares de pessoas na década passada no país.

www.reporteriedoferreira.com Agências de Notícias