BESSA GRILL
Início » Internacionais » Manifestantes bloqueiam acessos à sede do governo da Ucrânia

Manifestantes bloqueiam acessos à sede do governo da Ucrânia

Oposição convocou no domingo a ocupação do bairro governamental. Manifestantes querem a renúncia do presidente Viktor Yanukovich.

3/12/2013 03:31

 

ucraniaMais de dois manifestantes da oposição bloqueavam nesta segunda-feira (2) os acessos à sede do governo da Ucrânia, no Centro de Kiev, seguindo uma convocação feita no domingo para forçar a renúncia do governo. O protesto é contra a decisão do governo de afastar-se de uma integração com a Europa.

Os manifestantes caminharam até a sede do governo a partir da Praça da Independência, situada a centenas de metros, onde milhares de pessoas passaram a noite após uma manifestação no domingo que reuniu pelo menos 350 mil pessoas. Eles o acusam de deixar o país nas mãos da Rússia.

saiba mais

Leia mais notícias sobre a Ucrânia

Todas as ruas ao redor da sede do governo também estão bloqueadas por motoristas simpatizantes da oposição – a principal via de acesso ao prédio do governo está bloqueada com lixeiras, contêineres de metal e até jarros de flores.

“Os funcionários não podem entrar no prédio. As negociações estão em andamento com os manifestantes para autorizar a entradas dos funcionários”, disse um porta-voz do primeiro-ministro Mykola Azarov. Ele acrescentou que Azarov ainda não tinha ido trabalhar.

“Está começando uma revolução na Ucrânia”, afirmou o líder opositor Oleg Tiagnibok.

“Estamos iniciando uma greve nacional”, completou.

Os manifestantes denunciam uma guinada de Yanukovich, que na última sexta-feira (29) não quis assinar um acordo de associação com a União Europeia que estava em negociações há meses. Eles acusam o presidente de deixar o país nas mãos da Rússia.

Quase 100 policiais ficaram feridos nos protestos de Kiev no domingo, informou a porta-voz policial Olga Bilik. As forças de segurança usaram bombas de efeito moral contra manifestantes encapuzados diante da sede da presidência, depois que os opositores jogaram pedras e, segundo a imprensa local, coquetéis molotov.

Dois fotógrafos da AFP e um cinegrafista local que trabalha para o canal Euronews ficaram levemente feridos.

Estado de exceção

O governo da Ucrânia negou nesta segunda-feira que planeje implantar o estado de exceção no país devido aos protestos da oposição e os violentos enfrentamentos que ocorreram ontem em Kiev e deixaram quase 200 feridos hospitalizados, entre policiais e manifestantes.

“As autoridades não pensam em decretar o estado de exceção no país”, disse à agência Interfax o porta-voz do Gabinete dos Ministros, Vitali Lukianenko.

População protesta fora da sede do governo ucraniano nesta segunda-feira (2) (Foto: Ivan Sekretarev/ Reuters)

População protesta fora da sede do governo ucraniano nesta segunda-feira (2) (Foto: Ivan Sekretarev/ Reuters)

 

G1