BESSA GRILL
Início » Internacionais » Manifestações por um ano da morte de jovem têm confrontos na Turquia

Manifestações por um ano da morte de jovem têm confrontos na Turquia

13/03/2015 00:27
Manifestante a frente de barricada aponta arma em direção à polícia em Istambul, na Turquia, nesta quarta-feira (11). Polícia e ativistas entraram em confronto durante protesto em memória de adolescente morto nas manifestações de 2013 contra o governo (Foto: Ozan Kose/AFP

Manifestante a frente de barricada aponta arma em direção à polícia em Istambul, na Turquia, nesta quarta-feira (11). Polícia e ativistas entraram em confronto durante protesto em memória de adolescente morto nas manifestações de 2013 contra o governo (Foto: Ozan Kose/AFP

Nesta quarta-feira, em diversas cidades da Turquia, a polícia local dispersou inúmeras pessoas que se reuniram para homenagear um adolescente morto há exato um ano, indicaram fontes próximas. Na ocasião, durante manifestações antigoverno ocorridas em 2013, Berkin Elvan morreu após ficar ferido em decorrência da repressão policial.

Em Istambul, foram registrados confrontos no bairro de Okmeydani, onde vivia a vítima. Os enfrentamentos levaram o aparato policial a disparar jatos d’água e lançar bombas de gás lacrimogêneo contra o que grupos de extrema-esquerda arremessaram pedras e coquetéis molotov.

De acordo com meios de comunicação locais, alguns manifestantes foram detidos quando tentavam se reunir em frente ao Parque Gezi, onde começaram as manifestações de 2013.

Em Ancara, a polícia disparou jatos d’água contra centenas de pessoas que clamavam por justiça. Onze pessoas foram detidas, segundo a mídia local.

Os meios de comunicação acrescentaram que as manifestações foram realizadas em cerca de 20 cidades turcas.

Relembre o caso
Gravemente ferido na cabeça por uma bomba de gás lacrimogêneo, o jovem de 15 anos ficou em coma por 269 dias. Elvan foi a última vítima fatal da ofensiva governamental lançada ainda em 2013.

Em junho daquele ano, as manifestações no Parque Gezi e na Praça Taksim tinham o objetivo de salvar as árvores do parque. As áreas verdes estavam sob ameaça de um projeto urbanístico levado a cabo pelo governo, e então se converteram em protestos generalizados contra o então primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan, atual presidente na Turquia.

A morte de Elvan elevou a sete o número de manifestantes mortos durante esses acontecimentos, que deixaram mais de oito mil feridos. Na ocasião, um policial também morreu.

www.reporteriedoferreira.com  G1