Agentes penitenciários foram feitos refém em uma rebelião no presídio Milton Dias Moreira , na Baixada Fluminense, que acontece na noite deste domingo (18). A Polícia Militar do Rio de Janeiro foi acionada para conter a ação realizada por presos que estão armados no interior da prisão.

Imagem de helicóptero da Polícia Militar mostra movimentação no pátio do Milton Dias Moreira durante a rebelião
PMERJ

Imagem de helicóptero da Polícia Militar mostra movimentação no pátio do Milton Dias Moreira durante a rebelião

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informa em nota enviada à reportagem do portal iG  sobre a rebelião que , “na tarde deste domingo, inspetores de segurança e administração penitenciária frustaram uma tentativa de fuga de internos da Penitenciária Milton Dias Moreira. Logo após, os internos iniciaram um motim”.

 

A Seap, entretanto, não informou o número de reféns. De acordo com reportagem do portal G1, que já fala em ao menos três reféns, os agentes foram abordados durante contagem dos presos. Os homens envolvidos na ação estariam com dois revólveres e uma pistola. A orientação é que nenhum policial entre na unidade, mas o Grupo de Intervenção Tática (GIT), da Secretaria de Administração Penitenciária também já foi acionado. 

A nota da secretaria diz ainda que o secretário de Estado de Administração Penitenciária, David Anthony Gonçalves Alves, ativou o centro de crise no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC).

Situação dos presídios

Para conter rebelião com reféns, Grupo de Intervenção Tática da Secretaria de Administração Penitenciária foi acionado
Facebook/Grupamento de Intervenção Tática/Reprodução

Para conter rebelião com reféns, Grupo de Intervenção Tática da Secretaria de Administração Penitenciária foi acionado

A rebelião ocorre no mesmo dia em que secretaria informou que anteciparia “medidas de controle” nos presídios do estado para impedir eventuais reações da população carcerária à intervenção federal na segurança pública, decretada na sexta-feira (16). Não foram detalhadas, entretanto, as medidas que seriam tomadas por “questões de segurança”.

Em pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão sobre o decreto de intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro , o presidente Michel Temer disse que a medida é necessária diante da atuação do crime organizado no estado . O presidente anunciou a presença das Forças Armadas nas ruas e comunidades do Rio e disse que os presídios não serão mais “escritórios de bandidos”.

www.reporteriedoferreira.com.br com Ig