BESSA GRILL
Início » Nacionais » PM é suspeito de envolvimento em chacina de Carapicuíba

PM é suspeito de envolvimento em chacina de Carapicuíba

11 pessoas foram baleadas e oito morreram. Policial foi baleado no mesmo horário de ataques na região.

26/07/2014 19:48

Um policial militar é suspeito de envolvimento na chacina que deixou oito mortos em Carapicuíbana madrugada deste sábado (26).

O município na Grande São Paulo registrou pelo menos quatro ataques, que resultaram em onze pessoas baleadas. Dois dos feridos continuam em estados grave e gravíssimo.

Segundo a Polícia Civil, um soldado da polícia militar alegou ter sido baleado durante uma tentativa de assalto que teria sofrido por volta do mesmo horário em que os ataques ocorreram.

Delegado Andreas Schisann falou sobre o caso (Foto: Amanda Previdelli/G1 São Paulo)
Delegado Andreas Scheffann falou sobre o caso
(Foto: Amanda Previdelli/G1 São Paulo)

Uma mulher, identificada como amante do policial, estaria com ele no momento do crime. Ele teria tido sua motocicleta roubada.

Os dois foram levados separadamente ao local do suposto crime e a mulher confessou que a história era mentirosa. “Eles disseram ter sido roubados, mas na verdade era um álibi. A moça confessou [que não sofreu assalto] e com o polícial apreendemos uma arma que pode ter sido usada na chacina”, afirma o delegado do setor de homicídios do 1º Distrito Policial de Carapicuíba, Andreas Scheffann.

A motocicleta do policial também já foi localizada.

Por volta das 3h30 da madrugada deste sábado (26), homens armados atiraram contra um grupo de pessoas na Rua Comendador Dante Carraro, no bairro Aristom. Quatro pessoas morreram no local, entre elas uma mulher grávida. Uma vítima foi levada a um hospital da região, onde também faleceu.

Dois feridos no primeiro ataque foram encaminhados ao Hospital Geral de Carapicuíba, um está em estado grave, mas estável, e outro está na UTI, em estado gravíssimo.

O segundo ataque aconteceu por volta das 4h30 na Rua Diógenes Ribeiro de Lima. Duas pessoas foram mortas.

Por volta das 5h30 um terceiro ataque foi realizado na rua Rio Branco. Uma pessoa ficou ferida com um tiro na mão.

O último ataque foi às 5h45 na Rua Jaci, onde uma pessoa morreu.

A polícia trabalha com a hipótese dos ataques estarem relacionados em razão da proximidade dos locais, horários e da semelhança entre cartuchos encontrados nos quatro lugares. Cartuchos de balas 9mm e calibre 380 foram encontrados em todos os endereços.

A investigação também trabalha com a possibilidade de vários autores terem participado dos crimes. Ao menos duas motos e dois veículos teriam sido usados pelos criminosos.

A possibilidade que o assassinato de pelo menos oito pessoas tenha relação com a morte do policial militar Adaílton da Silva Souza no último sábado (19) durante uma operação na favela CSU, em Carapicuíba, também é considerada pela polícia.

Um mandado de prisão temporária já foi expedido para o policial militar suspeito, que está detido no 1º DP do município. “Essa situação forjada do álibe é suspeita”, afirma Schisan. O soldado investigado trabalha há 7 anos no 23º Batalhão da Polícia Militar.

A Corregedoria da PM, além da Polícia Civil, acompanha o caso.

Chacinas
Esta é a segunda chacina em Carapicuíba nos últimos 15 dias. Em 13 de julho, bandidos atiraram contra oito pessoas na Rua da Fábrica, no bairro de Santa Terezinha e cinco pessoas morreram.

São Paulo registrou sete chacinas em 2014. Foram duas na capital e cinco na região metropolitana.

Do G1 São Paulo