Ministro Raul Jungmann quer informações atualizadas sobre os índices de criminalidade nos estados
Marcelo Camargo/Agência Brasil – 22.9.17

Ministro Raul Jungmann quer informações atualizadas sobre os índices de criminalidade nos estados

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann , enviou carta aos governadores dos estados neste início de semana cobrando o compartilhamento dos dados atualizados sobre a violência em cada região. São pedidos os índices da segurança pública registrados em cada estado nos anos de 2016 e 2017 até 23 de maio.

No texto, Raul Jungmann alerta os chefes do Poder Executivo nos estados que a União pode vir a bloquear os repasses federais caso os governadores não cumpram com a obrigação de fornecer informações atualizadas sobre a criminalidade para o governo alimentar o Sistema Nacional de Segurança Pública (Sinesp). O ministro acrescenta que o não cumprimento desse pedido pode fazer com que o estado seja impedido de firmar convênios com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). 

 

O esforço do ministro visa atender ao que foi  pedido pelo presidente Michel Temer ao criar o Ministério Extraordinário da Segurança Pública para “coordenar e promover a integração dos seviços de segurança em todas as unidades federativas do País”, conforme definição do próprio emedebista.

“Essa pasta nasce da constatação de que o crime só se fortalece com a fragmentação dos esforços do poder público. Se você tem esforços conectados, você consegue combater [a criminalidade] muito adequadamente”, disse Temer ao dar posse a Jungmann no novo ministério, em fevereiro.

Rio de Janeiro fora de risco

O Sinesp foi criado em 2012 justamente com o intuito de auxiliar na “formulação, implementação, execução, acompanhamento e avaliação das políticas relacionadas com segurança pública” numa parceria entre a União e os estados. Os dados armazenados nesse sistema também visam a promoção de políticas para melhorar o sistema prisional e a execução penal, bem como fortalecer o combate ao tráfico de drogas.

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (MDB), foi um dos governantes que receberam a carta de Raul Jungmann , mas o estado não corre riscos de ficar sem verbas da União. Isso porque o Rio segue sob  intervenção federal, que conta com orçamento próprio e é chefiada pelo general Braga Netto, do Comando Militar do Leste.

www.reporteriedoferreira.com.br  Por Ig