BESSA GRILL
Início » Cidades »  FALANDO DE MAÇONARIA : Escrito Por Manoel  Wellington de Assis  

 FALANDO DE MAÇONARIA : Escrito Por Manoel  Wellington de Assis  

29/07/2017 00:27

 

FALANDO DE MAÇONARIA : Escrito Por Manoel  Wellington de Assis  

 

A Maçonaria esta vivenciando o seu primeiro quarto do século XXI, seria a pretensão descabida de tentar-se adivinhar, o que aconteceria no desenrolar durante seu decorrer. Absurda pretensão para preconizar o papel da Maçonaria na sociedade.

Entendo como necessário modificar-se o trabalho no interior das Lojas no modelo atual, pois funciona nos modelos de uma administração arcaica, afeita ao sistema cartorial, no momento de nossas reuniões semanais, pergunto. Não esta na hora de voltar ao futuro, pois o passado já nos deu a sua história gloriosa. O modernismo na administração, é uma exigência, tendo chegado o momento de embarcamos na nave do tempo para fazermos a viagem de volta no tempo do século XXI, pois o tempo dos anos da Maçonaria tornou-se história, pois bem:

Sendo a história o cemitério da vida, podemos consulta-la e trazê-la a vida e fatos do passado aos dias de hoje.

Sabemos que as formalidades no âmbito das reuniões internas em Lojas fazem parte da tradição do maçom, porém se não atualizarmos com a problemática do mundo chamado moderno, viveremos eternamente discutindo o passado, com isso  nos tornaremos obsoletos e anacrônicos e meramente folclóricos. Tenho absoluta certeza que os maçons não desejam tal fim.

A doação a Maçonaria é um sacerdócio, e não somente um diletantismo, juramos servi-la e, nunca utilizarmos na realização mesquinha de proveito pessoal, os juramentos que declaramos sob o livro da Lei, não foram derrogados, a visão de um passado recente ainda não desvaneceu-se, a vida é uma eterna evolução o grande corolário de nossa existência é: evoluir ou decair! É imperiosa esta resposta, por sermos lendários, pela qualificação de seus operários que trabalhavam em diversos ofícios com especialidade em construção de grandes obras, de cal e pedra, tomamos a grande decisão de nos tornar construtores sociais, e, isso fizemos por longo tempo. Hoje a finalística maior de defender os segregados sociais.

A instituição MAÇONARIA, hoje toma forma dos outros formatos, cresce sua importância perante a sociedade profana, nossas tradições nos concebem o direito de falar em voz alta, pois sempre atuamos no dever de preservar os interesses comuns de nossas instituições.

Nossa Constituição, esta ferida, comentário desairosos são falados com o formato de nos desacreditar perante a opinião pública, nesses momentos em que se atravessa o mar revolto das incompreensões e, de interesses escusos apelamos aos que carregam nos seus sentimentos mais íntimos e vivos ao sentir o fervor de falar, este é meu torrão, esta é minha pátria, este é o meu Brasil.

Isto foi o arcabouço que nasceu a Maçonaria.

Este espirito de corpo foi se aprimorando, tomou vulto em sua organização e chegou finalmente a grande civilização do Egito, que deu vazão ao desenvolvimento da arte dos pedreiros com as famosas construções das pirâmides e palácios, bem como, pontes, estradas, viadutos, aqueduto e etc.

Os preceitos fundantes da Maçonaria foram plantados pelo pastor Dr. James Anderson, por volta de 17 de junho de 1717, no qual assentariam os princípios dos 25 pontos que norteariam os fundamentos neles contidos como causas pétreas que nortearia toda sistemática de procedimentos da Maçonaria.

Após a codificação implementada por James Anderson, a maçonaria tomava destaque na sociedade da Europa, com um cunho puramente de influência social, tendo em vista que o crescimento de sua atuação iniciou uma nova era de convívio social, onde deixava para trás sua tradição de construtores medievais, para adentrar as classes sociais mais elevadas tanto no que concernia poder econômico como politicas, graças a influência dos novos participantes maçons (fidalguia e comerciantes e burguesia como um todo) denominados de modernos ou especulativos, que deu oportunidade de grande expansão de suas atividades, social, politica, e, sobretudo influenciar em decisões junto aos governos.

O século XXI foi o motor propulsor das grandes mudanças sociais, que teve como motivo a Revolução francesa que levaria por terra a sociedade que escravizava a pobreza, nascendo ai o espirito republicano, com sua consequência nas estruturas sociais, os fatos que desencadearam um novo pensamento foi pautado na famosa tríade LIBERDADE – IGUALDADE e FRATERNIDADE.

As grandes lutas levantadas pela Maçonaria nas Américas, na Europa, materializando-se no campo das liberdades do homem. Outros fatos importantes no Brasil, teve efeito muito valorizado com a Lei do Ventre Livre, que libertou todos filhos de mulheres escravas que parissem a partir da vigência da lei, seus filhos nasceriam livres; outro momento importante sentimento libertário foi a Lei Aurea (Libertação dos escravos), nossa independência, proclamação da república.

Estes movimentos libertários era predominantes na Europa, com especialidade nas Universidades de Coimbra, e nos Estados Unidos da América, encabeçada por George Washington, que estimulava de forma declarada aos povos da América; estes movimentos libertários dos povos hispanos-portugueses, acelerou o sentimento de liberdades dos brasileiros.

A participação da Maçonaria nestes movimentos foi aberta, e presente nos movimentos de independência, muitos destes heróis tombaram na luta contra a dominação, a liberdade da pátria não tinha preço, também não escolhia sacrifícios, era vencer ou vencer, sua pátria não esqueceria os seus mártires, o povo abraçou a causa, hoje repousam no panteão da liberdade, a imolação destes filhos, foi a luz que iluminou o caminho, para novas conquistas, a maçonaria foi a cabeça, a companhia nos grandes momentos do nosso povo, a defensora dos direitos e das liberdades da pátria, e do povo brasileiro.

A Maçonaria seria um dos fatores preponderante na luta sem fronteira, a luta desigual travada com o sentimento do mais profundo coração do filho da terra equidade do homem, em nossas lutas, hasteamos a bandeira que tremula no mais alto mastro dos anseios do homem; as palavras (liberdade, igualdade e fraternidade), com estes sentimentos que atravessou os dias e anos e também os séculos, oportunizaram o direito de estarmos juntos até este dia com igualdade de convivência, pois esse sentimento nos concebe o direito inalienável do cidadão de viver em harmonia em sociedade justa, dando direito a saúde, segurança, educação, a rogar ao “Grande Arquiteto” o direito de recitar a grande regra de São Francisco de Assis, “é dando que se recebe” , pois esta regra esta inserida na sociologia filosófica da maçonaria.

“O pensamento republicano de Robespierr”

“Liberdade – O direito para exercer a nossa independência de; pensar, de ir e vir, de escolher aquele que se juntem a nossa causa”

“Igualdade – O direito de viver em igualdade, em sociedade, de livre escolha, em sociedade livre”

“Fraternidade, independentemente de gênero, de cor ou razão social.”

A grande síntese do criador.

“Nascemos LIVRE – IGUAIS – FRATERNOS”

MANOEL WELLINGTON DE ASSIS

www.reporteriedoferreira.com.br