BESSA GRILL
Início » Esportes » Santos e Flamengo empatam e ampliam séries ruins

Santos e Flamengo empatam e ampliam séries ruins

25/05/2014 23:12

flamengoFosse o futebol um esporte justo, a superioridade do Flamengo sobre o Santos, neste domingo, no Morumbi, seria premiada com o gol que Paulinho, de tão fácil, não poderia perder aos 47 minutos do segundo tempo. Mas o atacante, na pequena área, mandou no travessão – e manteve o 0 a 0 no placar. A fragilidade do Peixe na partida foi atestada pelas vaias da torcida ao fim do jogo.

O empate foi muito ruim para o Santos, por jogar em casa, e doloroso para o Flamengo, completamente dono do primeiro tempo e melhor também em parte da etapa final. A igualdade leva o Peixe para oito pontos, na 13ª colocação. O Rubro-Negro, com seis, é o 16º, muito perto da zona de rebaixamento. As duas equipes voltam a campo na quinta-feira: o Santos contra o Bahia e o Flamengo diante do Figueirense.

Foi o quarto jogo seguido sem vitória e o segundo empate consecutivo dos cariocas na competição. Mas o Flamengo merecia vencer. Ney Franco, ciente dos problemas estruturais de sua equipe, resolveu apostar na marcação: três volantes no meio e um zagueiro, Samir, como lateral-esquerdo. Deu certo. Os setores estiveram mais próximos, e isso otimizou as jogadas. Negueba foi ótima via de acesso ao ataque, e Paulinho também se movimentou bem, mas os visitantes falharam na finalização – o que incluiu um chute no travessão de Luiz Antonio no primeiro tempo.

O Santos, sem Cícero, que não foi a campo porque atingiria sete jogos e não poderia se transferir para outro clube da Série A (está de saída), teve enormes problemas de articulação. Era muito atacante (três) para pouca bola chegando lá. Melhorou um pouco no começo do segundo tempo, quando apareceu bem a figura do goleiro Paulo Victor, o substituto de Felipe, barrado do jogo por ter faltado a um treinamento. Mas o Flamengo logo retomou o controle do duelo.

E não venceu porque Paulinho perdeu um gol impressionante. No último lance, quando o Santos segurava o jogo com um atleta a menos (Geuvânio foi expulso por carrinho por trás em João Paulo), o atacante rubro-negro recebeu cruzamento na pequena área, de frente para o gol, sozinho. E perdeu. Pegou embaixo da bola e acertou o travessão.