BESSA GRILL
Início » Esportes » Portuguesa bate o Santos no Pacaembu com atuação inspirada de Bruno Mineiro

Portuguesa bate o Santos no Pacaembu com atuação inspirada de Bruno Mineiro

Atacante balança as redes duas vezes na vitória por 3 a 1 da equipe do Canindé, que volta a ganhar no Brasileirão após duas derrotas

23/09/2012 07:05


A Portuguesa aproveitou o fato de o Santos jogar desfalcado do seu principal astro, o craque Neymar, para vencer o adversário por 3 a 1, na noite deste sábado, no Pacaembu. O grande responsável pela vitória do time do Canindé foi o centroavante Bruno Mineiro, que marcou duas vezes. O outro gol da equipe foi anotado por Léo Silva. André foi quem balançou as redes pelo Santos.

Gazeta Press

Jogadores da Portuguesa comemoram gol de Bruno Mineiro na vitória sobre o Santos

O resultado freou a reação santista no Campeonato Brasileiro, caindo para a 11° posição, com 33 pontos. Enquanto isso, a Portuguesa quebrou a sequência de duas derrotas (Fluminense e São Paulo), subindo para a 12° colocação, com 32 pontos ganhos.

O Santos volta a campo no dia 30 (domingo), quando encara o Grêmio no Estádio Olímpico. Já a Portuguesa joga de novo no domingo, dia em que receberá a visita do líder Atlético-MG.

O jogo

Jogando diante de sua torcida em São Paulo, o Santos começou a partida pressionando a Portuguesa. Aos seis minutos, após grande jogada individual de Victor Andrade, Patito Rodríguez furou e André pegou mal na bola, chutando-a por cima do gol. Dois minutos depois, Felipe Anderson fez bom lance individual e soltou a bomba, com a bola passando próxima ao gol de Dida.

Aos poucos, a Portuguesa foi equilibrando as ações. O Santos ainda teve uma boa chance, aos 31, com o argentino Patito Rodriguez, aproveitando levantamento vindo da esquerda, em cobrança de falta, mas Dida estava bem colocado para fazer a defesa facilmente.

No minuto seguinte, a Portuguesa viu a arbitragem anular um gol seu, em lance polêmico. Em trama ofensiva, Rodriguinho mandou a bola para o fundo das redes, mas o impedimento já havia sido marcado pelo trio de arbitragem.

Melhor nos minutos finais do primeiro tempo, a Portuguesa chegou ao seu gol aos 37. Bruno Mineiro se aproveitou do seu bom posicionamento dentro da grande área para, depois de cobrança de escanteio pela esquerda, completar de cabeça e balanças a redes: 1 a 0.

Cinco minutos mais tarde, veio o segundo gol. Após boa troca de passes, Rodriguinho rolou para Léo Silva chutar forte, ampliando a vantagem dos visitantes no Pacaembu antes do intervalo.

Na volta para a etapa complementar, o técnico Muricy Ramalhou sacou o lateral esquerdo Juan para a entrada do meia-atacante Bernardo. Com isso, Gérson Magrão deixou o meio-campo e passou a atuar na ala esquerda do Santos.

Só que foi a Portuguesa que quase chegou ao gol no retorno do intervalo. Aos dois minutos, Moisés se livrou dos defensores santistas, driblou o goleiro Rafael e completou para o gol, mas não levou sorte, pois a bola bateu na trave direita e saiu pela linha de fundo.

A Portuguesa teve mais uma boa oportunidade para ampliar, quando Marcelo Cordeiro, aos 15, cobrou falta no ângulo, mas Rafael pulou no canto direito, para fazer boa defesa. O terceiro gol saiu dois minutos depois: em cobrança de falta ensaiada, Bruno Mineiro tocou de cabeça para as redes santistas.

A partir daí, a Portuguesa passou a tocar a bola com mais espaço e, explorando o desespero do Santos, quase chegou ao quarto. Aos 24, Bruno Mineiro ajeitou de peito para Moisés e recebeu de volta do meia, na frente, mas o toque de cabeça passou ao lado do gol de Rafael.

Já após a troca entre argentinos, com a saída de Patito Rodríguez para a entrada de Miralles, o Santos descontou. Aos 29, Bernardo cobrou falta para a área, André subiu mais do que a defesa rival e mandou a bola para as redes, descontando para o time santista.

Nos minutos finais do confronto, Muricy ainda mandou João Pedro no lugar de Douglas para campo, enquanto o treinador da Portuguesa, Geninho, sacou o grande nome do jogo, Bruno Mineiro, para a entrada de Diego Viana.

O Santos ainda tentou descontar, mas esbarrou no nervosismo e na boa postura tática de seu adversário, que garantiu a vitória até o apito final do árbitro.

 

Do ig