BESSA GRILL
Início » Destaque » Na chegada ao Grêmio, Felipão diz que não está ‘nem aí’ para discussão de 7 a 1 da Copa

Na chegada ao Grêmio, Felipão diz que não está ‘nem aí’ para discussão de 7 a 1 da Copa

Bem-humorado, Felipão pediu licença à Luxemburgo para usar palavra 'projeto'

30/07/2014 15:47

Apresentado nesta quarta-feira como novo treinador do Grêmio, Luiz Felipe Scolari não escapou de perguntas sobre a goleada por 7 a 1 sofrida pela seleção brasileira na Copa do Mundo. O treinador reconheceu a mancha que a goleada deixou em sua vitoriosa carreira, mas disse que não está “nem aí” para a discussão do resultado, afirmando que o jogo da semifinal mundial não reflete a realidade do que foi sua vida.

“Claro que ficou marcado o resultado de 7 a 1. Sei disso. Mas não estou nem aí para discutir dados sobre isso, porque não vale a pena. Um jogo não diz o que foi a realidade da minha vida. Se as pessoasquerem seguir por esse caminho, não vou discutir”, bradou.

“Ainda ontem recebi um telefonema do [ex-treinador] Rubens Minelli dizendo: ‘Felipão, eu tomei 8! Passou um tempo, fui para o Palmeiras!’. Tem tantos times e seleções que levaram 6, 7, 8, um desastre em determinado jogo, mas depois seguiram em frente e foram campeões. Não vou muda tudo o que fiz de bom por causa de um jogo”, completou.

“O 7 a 1 foi catastrófico, vou guardar para o resto da vida, mas algumas coisas que estão sendo jogadas como dados não estão corretas. Tenho a confiança do Grêmio e do torcedor, e quero ter a confiança dos jogadores que vamos fazer um bom trabalho. Quero fazer um trabalho como sempre fiz, com votnade, alegria, felicidade de estar noavmente no Grêmio, com as pessoas que mais gosto. Como é bom!”, celebrou.

Felipão também disse que estava “precisando de um abraço” após ser criticado pela imprensa e pelos torcedores brasileiros depois do fraco futebol apresentado pela seleção brasileira na Copa do Mundo. Por isso, aceitou voltar ao Grêmio 18 anos depois de sua vitoriosa passagem nos anos 90.

“Todo mundo sabe que sou gremista, que aqui sempre foi minha casa. O único convite que aceitaria seria do Grêmio. Eu disse que um dia voltaria. Mas volto nesse momento também porque preciso de um abraço, de um carinho, de pessoas que me ajudem. Aqui, eu sei que os torcedores e jogadores vão estar comigo”, afirmou, com olhos marejados.

Scolari terá em sua comissão técnica seu eterno auxiliar Flávio Murtosa e também Ivo Wortmann, que deixará de ser treinador para ser auxiliar de Felipão.

ESPN Brasil