BESSA GRILL
Início » Esportes » MP devolve à Polícia Civil inquérito que acusa Fábio Bilica de estupro

MP devolve à Polícia Civil inquérito que acusa Fábio Bilica de estupro

Promotor Valério Bronzeado disse que faltam alguns laudos no inquérito e a Delegacia da Mulher vai ter que concluir o relatório

9/08/2013 19:01

O Ministério Público da Paraíba deu um parecer nesta quinta-feira sobre o inquérito criminal que acusa o zagueiro paraibano Fábio Bilica de estupro. O promotor substituto de Cabedelo, Valério Bronzeado, considerou o inquérito do suposto estupro incompleto e vai devolvê-lo à Polícia Civil.

Fábio Bilica (Foto: Larissa Keren/Globoesporte.com)
Fábio Bilica foi indiciado por estupro pela delegada
Maria Rodrigues da Silva

Assim, o relatório deve voltar para a delegada encarregada, para que a investigação seja concluída. Valério afirmou que o inquérito não foi concluído e que antes do recebimento das informações faltantes o caso não vai avançar.

– Dei o parecer para que a Delegacia da Mulher volte a receber o inquérito, para anexar os laudos de conjução carnal e um laudo do carro, onde o estupro teria acontecido, segundo a denúncia – contou.

– A delegada vai ter que concluir esse relatório, adicionando esses laudos e outras perícias, e  mandar para um juiz, para que só então volte ao Ministério Público – emendou o promotor.

Entenda o caso

Toda a confusão aconteceu no fim da noite de sexta-feira (5 de julho) e início de madrugada de sábado. Segundo a jovem, o jogador teria estuprado a vítima no estacionamento do Aeroporto Internacional do Recife, mas a defesa fala em “relação consentida”. Em comum nas duas versões, apenas o fato de que Bilica estava num carro com mais três amigos, ainda em João Pessoa, onde a vítima entrou junto com sua filha. O jogador estava indo a Recife para pegar o voo para a Turquia, onde se reapresentaria ao seu time. Mas a partir daí as versões são contraditórias.

A versão contada pela suposta vítima dá conta de que ela teria sido levada para o Aeroporto enganada. Segundo a delegada Maria Rodrigues, a vítima disse em seu depoimento que saiu de casa com o objetivo de deixar sua filha de 15 anos num barzinho próximo, onde a garota se encontraria com o namorado. No caminho, as duas teriam sido abordadas pelo jogador, que lhes ofereceu uma carona. A jovem teria negado a princípio, só aceitando depois da insistência do jogador.

– A vítima contou que só bem depois é que percebeu que o carro estava na estrada para Recife, que fica a 120 quilômetros de João Pessoa. Quando ela percebeu isto, ele não quis mais voltar – relatou a delegada.

Vítima de suposto estupro de Fabio Bilica (Foto: Kleide Teixeira/Jornal da Paraíba)
Vítima de suposto estupro de Fabio Bilica

Ao chegar ao local, Fábio Bilica e seus amigos teriam “conversado em códigos” para que os três tirassem a adolescente do carro e deixassem apenas os dois no veículo. Neste momento, segundo o testemunho da jovem, teria acontecido o estupro.

Por outro lado, o advogado do jogador defende que o sexo foi consentido, que a jovem seguiu com o grupo de forma totalmente espontânea e que, por isso, não houve estupro. Luiz Fernando defende que o jogador está sendo vítima de uma “tentativa de golpe”. A versão apresentada pelo advogado dá conta de que, em um posto de gasolina próximo à casa dos dois, “eles voltaram a conversar e ela aceitou entrar no carro por vontade própria”, declarando também que “ela já sabia desde o início que o grupo estava indo para Recife deixar o jogador no aeroporto”.

Luiz Fernando Ceriani, advogado de Fabio Bilica (Foto: Kleide Teixeira/Jornal da Paraíba)
Luiz Fernando Ceriani, advogado de Fabio Bilica
O testemunho dos amigos também dá conta de que, depois do momento em que ficaram a sós, o jogador e a jovem teriam se juntado ao grupo em um quiosque do próprio aeroporto, onde teria bebido e conversado “amigavelmente”. Um amigo do jogador contou que, depois do embarque de Bilica, a mulher solicitou uma “pílula do dia seguinte”, que foi comprada ainda no aeroporto e depois o grupo teria retornado para casa sem o registro de nenhuma reclamação por parte da possível vítima.

Na quinta-feira (dia 11 de julho), a adolescente de 15 anos, filha da mulher que teria sido estuprada por Bilica, prestou um novo depoimento em que revelou também ter sofrido abuso. Maria Rodrigues explicou que a adolescente voltou à Delegacia da Mulher e contou que teria recebido beijos e carícias forçadas dos quatro homens que estavam dentro do carro e “que não tinha revelado estes detalhes antes porque a mãe já estava com problemas demais”.

Do G1.