BESSA GRILL
Início » Esportes » Lista reúne oito provocações que saíram pela culatra no esporte

Lista reúne oito provocações que saíram pela culatra no esporte

Anderson Silva não foi o primeiro - e nem será o último - atleta a provocar um rival para, em seguida, ser derrotado. Relembre outros casos famosos

9/07/2013 12:49

Anderson Silva não provocou um adversário no octógno pela primeira vez no último sábado, quando perdeu o cobiçado cinturão do UFC. Nem foi a primeira vez que um atleta provocou o oponente para, em seguida, sofrer derrota humilhante. Relembre oito casos em que o ato de desrepeito no campo ou no ringue só serviu para energizar um adversário que parecia morto ou incapaz de sair vitorioso.

1. PORCO RI POR ÚLTIMO

Há 20 anos, o sempre polêmico Viola comemorou um gol em cima do Palmeiras imitando um porco. Na partida seguinte, o Palmeiras reagiu com sonoro 4 a 0 e interrompeu jejum de 16 anos.

– Não era mais só questão de ser campeão, de quebrar um tabu. Depois da comemoração do Viola, era uma questão de honra também – lembrou Evair, herói palmeirense.

viola corinthians x palmeiras 1993 comemoração porco (Foto: Agência Estado)
Viola imita um porco ao comemorar gol. Palmeiras respondeu com 4 a 0 no jogo seguinte (Foto: Agência Estado)

2. REBOLADA ANIMAL

Um dos maiores dribladores da história, Edmundo resolveu rebolar na frente de Gonçalves, zagueiro e capitão do Botafogo, na primeira partida das finais do Carioca de 1997. O Glorioso venceu a partida seguinte sobre o Vasco, garantiu o título, e Gonçalves e toda a torcida botafoguense comemoraram rebolando no campo, nas arquibancadas e até nas ruas.

– Aquela provocação foi a melhor coisa que podia ter acontecido – ironiza o ídolo alvinegro.

3. ‘NINGUÉM BRINCA COM O FUTEBOL PENTACAMPEÃO’

Brasil e Argentina se enfrentavam na finalíssima da Copa América. Os hermanos venciam por 2 a 1 restando três minutos para o apito final. Carlitos Tévez carregou a bola até a lateral do campo e lá iniciou uma série de dribles “debochados”, a fim de gastar o tempo.

O time de Parreira recuperou a bola, e aos 48 minutos Adriano Imperador empatou a partida, levando a decisão para os penais. Resultado: a seleção brasileira levou o caneco, e Tévez saiu de campo aos prantos. Com a faixa de campeão no peito, Parreira disparou: “Ninguém brinca com o futebol pentacampeão”.

4. MUITO PRAZER, TÉVEZ

Mas Carlitos Tévez já esteve do lado vitorioso de uma zoação. Então presidente do Flamengo, Marcio Braga provocou o argentino antes do clássico contra o Corinthians, em 2005: “Dizem que é um grande jogador. Vamos ver o que ele mostra aqui hoje…”

E Tévez desequilibrou a partida: marcou dois gols na vitória do Timão fora de casa por 3 a 1. Na saída do campo, o atacante respondeu a Marcio Braga: “Agora ele me conhece.”

5. EMBAIXADINHAS MUDAM DE LADO

Em 2000, Pedrinho fez embaixadinhas durante a goleada sobre o Flamengo por 5 a 1, que deu ao Vasco o título da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca. O lance revoltou os rubro-negros, e houve revide: na decisão do estadual, o Fla levou a melhor, e as embaixadinhas reapareceram, mas do lado contrário, com Beto.

6. BEIJO E LONA

Durante a tradicional encarada que precede as lutas, o americano Heath Herring recebeu uma “bitoca” na boca do rival, o japonês Yoshihiro Nakao. A reação de Herring foi fulminante: um direto no queixo do adversário, que foi à lona antes mesmo de a luta começar. Herring foi desclassificado da luta no K1, mas Nakao não teve o que comemorar.

Boxeador troca beijinho e nocaute (Foto: Reprodução Internet)Boxeador responde a beijinho com nocaute (Foto: Reprodução Internet)

7. ESTRELA DA MORTE

Após 90 minutos de bola rolando e igualdade no placar, Stony Brook e Hartford se encaminham para decidir quem iria à final do America East Soccer (torneio de futebol no Estados Unidos). Batedores se alternam nas cobranças até que o goleiro do Hartford resolveu inovar debaixo das traves. A fim de desestabilizar o batedor, o arqueiro iniciou uma série de movimentos inéditos: “estrelas” sobre a linha do gol. O cobrador não se abalou, fez o gol e comemorou fazendo o quê? Estrelas!

Goleiro e goleador trocam cambalhotas (Foto: Reprodução Internet)Goleiro e goleador trocam cambalhotas na disputa de pênaltis (Foto: Reprodução Internet)

8. AQUI SE ZOA, AQUI SE PAGA

Sem vencer uma partida há oito rodadas, no Brasileirão de 1998, o Flamengo lotou o Maracanã para enfrentar a Portuguesa. Antes de a bola rolar, o mandatário rubro-negro à época, Kleber Leite, prometeu devolver a renda do jogo em caso de derrota.

Diante de 52 mil torcedores, recorde de público naquela altura do campeonato, o time carioca perdeu para a Lusa por 3 a 2. Promessa é dívida, e um constrangido presidente confirmou a devolução do dinheiro aos torcedores.

Do G1.