BESSA GRILL
Início » Destaque » Jornalista critica comercial do Fla sobre bi mundial: ‘É uma zica clássica’

Jornalista critica comercial do Fla sobre bi mundial: ‘É uma zica clássica’

David Butter diz que clube não deveria ter feito campanha, que coloca técnico Mano Menezes e jogadores narrando conquista imaginária

8/08/2013 20:05

O imaginário bicampeonato mundial do Flamengo narrado em um comercial realizado pelo clube, com participação de jogadores e do técnico Mano Menezes, é um erro, na opinião do jornalista David Butter. O convidado do “Redação SporTV” desta quinta-feira afirmou que a campanha não deveria ter sido aprovada pela diretoria, que, segundo ele, assumiu a postura do torcedor.

Além de Mano, o vídeo conta com a atuação de Leonardo Moura, Marcelo Moreno, Elias, Gabriel, Rafinha e Felipe e descreve em detalhes um hipotético segundo título mundial. No final, pede a participação do rubro-negro no programa sórcio-torcedor, como chave para viabilizar o sonho. O anúncio foi veiculado no telão do estádio Mané Garrincha, na última quarta, onde o Flamengo empatou em 1 a 1 com a Portuguesa, pelo Brasileirão.

– O torcedor do Flamengo costuma dizer, quando ganha qualquer jogo, a expressão “rumo a Tóquio”, mesmo o Mundial não sendo em Tóquio. Mas tem uma diferença entre o torcedor falar e o clube falar. Não pode assumir isso e pegou mal. É uma zica clássica – afirmou Butter.

No comercial, Moreno seria o herói do título, com gol de virada no minuto final. O Flamengo foi campeão mundial em 1981, derrotando o Liverpool, da Inglaterra, por 3 a 0 em Tóquio, no Japão.

Na visão de Butter, o comercial é desnecessário, inclusive, pelo momento delicado vivido pelo clube. Segundo o jornalista, o elenco atual do Rubro-Negro está longe de inspirar esperança em um título mundial.

– Para acontecer isso, tem que ter uma mudança geopolítica, para esse time do Flamengo ser campeão mundial – disse o jornalista.

Apesar de discordar da linha adotada na campanha, Butter elogia a postura da diretoria rubro-negra de implementar uma política financeira mais rígida, evitando ampliar a dívida do clube.

– Em termos de gestão, existe um salto de qualidade impressionante. O Flamengo está falando dos seus limites antes de chegar a eles. O Flamengo hoje sabe dos seus limites e fala abertamente disso para os sócios e para a imprensa. É um avanço institucional – disse.

Com o empate por 1 a 1 com a Lusa nesta quarta-feira, o Rubro-Negro ocupa a 13ª posição na tabela do Campeonato Brasileiro, com 14 pontos.

Globo Esporte