Em nota, a direção do clube lembrou ainda que a punição dado ao clube pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) resulta “em prejuízos incalculáveis quer seja de imagem, financeiro, logístico, entre outros”.

Assim, a medida punitiva prevê que o torcedor que estiver caracterizado com qualquer adereço de torcida organizada será barrado. O clube disse ainda que “atitudes de desordem e violência não são incentivadas pelo Campinense Clube e tampouco o representa”.

A punição

O  Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) realizou sessão nesta terça-feira (5) e puniu o Campinense Clube com dois jogos com portões fechados, além da multa no valor de R$ 20 mil. O clube foi advertido por uma confusão entre as torcidas, na partida contra o Central, em Caruaru, realizada há duas semanas no Estádio Lacerdão. O jogo foi válido pela Série D do Campeonato Brasileiro. O clube pernambucano também foi penalizado pelo STJD.

Segue a nota na íntegra:

Devido a acontecimentos recentes envolvendo torcidas organizadas do Campinense Clube, a diretoria cartola se reuniu na noite dessa terça-feira, 05, logo após a publicação do resultado do julgamento realizado no Superior Tribunal de Justiça Desportiva – STJD, processo Nº 77/2014, que penalizou a Raposa com perda de dois jogos com portões fechados e multa de R$ 20.000,00 (vinte mil reais), por causa de confusões registradas no jogo entre Central-PE e Campinense, ocorrido no último dia 27 de julho, na cidade de Caruaru, ocasionando a segunda punição para o clube na competição, uma vez que o primeiro mando de campo da Raposa também foi comprometido, por incidentes envolvendo torcedores ainda no ano de 2012, durante partida contra o Baraúnas, na cidade de Mossoró, resultando prejuízos incalculáveis à instituição Campinense Clube, assim como ao seu departamento de futebol, quer seja de imagem, financeiro, logístico, entre outros.

Por tudo o que fora citado, aliado a demais fatos que sequer precisam ser mencionados, ficou decidido que está totalmente proibido o acesso de torcedores trajando e/ou portando qualquer material que caracterize ou faça referência a torcidas organizadas, qualquer que seja, nas dependências do Complexo Esportivo César Ribeiro e nos jogos em que a Raposa seja mandante da partida.

Atitudes de desordem e violência não são incentivadas pelo Campinense Clube e tampouco o representa.