BESSA GRILL
Início » Esportes » De virada, Vasco vence Figueirense em São Januário e segue firme no G4

De virada, Vasco vence Figueirense em São Januário e segue firme no G4

Time carioca segue firme em busca de vaga na Libertadores, enquanto catarinenses estão cada vez mais próximos da queda

30/09/2012 04:03

Após dois empates seguidos (com Cruzeiro e Ponte Preta), o Vasco , enfim, voltou a vencer noCampeonato Brasileiro e se manteve na zona de classificação para a Libertadores. Neste sábado, a equipe cruz-maltina bateu o Figueirense por 3 a 1, de virada, em jogo válido pela 27ª rodada da competição. Os gols do time carioca foram anotados por Luan, Tenório e Juninho Pernambucano. Caio abriu o placar para os visitantes, que não conseguiram segurar a vantagem.

Como resultado, o Vasco se manteve na 4ª posição, com 47 pontos, e agora terá que torcer contra o Grêmio, que enfrenta o Santos em casa neste domingo, para permanecer colado nos gaúchos. Já os catarinenses seguem na penúltima posição, com 22 pontos, e estão cada vez mais próximos da queda para a 2ª divisão.

Na próxima rodada, os vascaínos vão até Goiânia encarar o Atlético-GO, lanterna do torneio. Já o Figueirense terá um difícil duelo contra o vice-líder Atlético-MG, em Belo Horizonte.

O jogo
Os minutos iniciais foram de domínio vascaíno. Com o maestro Juninho inspirado na criação das jogadas, a equipe cruz-maltina levava perigo com a dupla Alecsandro-Tenório. Apesar da pressão exercida, o Vasco foi surpreendido na primeira chance perigosa do Figueirense. Aos 12 minutos, em um rápido contra-ataque, Caio foi lançado por Claudinei e bateu com categoria para abrir o marcador, sem chances para Fernando Prass.

Com o tento marcado, o Figueirense mostrou que não ficaria só na defensiva e quase ampliou o placar aos 16 minutos, com chance desperdiçada por Aloísio. Apesar do gol sofrido, os vascaínos seguiam pressionando, mas encontravam muitas dificuldades no toque final. Tenório e Alecsandro continuavam enfernizando a zaga adversária, mas o empate estava difícil de sair. A equipe cruz-maltina afunilava o jogo pelo meio, errava muitos passes e mostrava nervosismo, o que irritava os torcedores presentes. Mesmo com a saída do artilheiro Caio, machucado, o Figueira levava perigo ao setor defensivo dos cariocas. Prova disso foi a bela tabela entre Hélder e Aloísio, aos 32, onde os catarinenses quase marcaram o segundo.

Se pelo meio não dava certo, os laterais vascaínos resolveram mostrar trabalho e, consequentemente, o Vasco conseguiu chegar ao gol de empate aos 33 da primeira etapa. Em um belo passe de Juninho, o lateral Luan invadiu a área, aproveitou a bobeada de Helder e bateu com força para deixar tudo igual. O gol foi o combustível que o Vasco precisava para seguir pressionando o rival. Pelas laterais, Luan e Feltri ameaçavam, Juninho seguia dando belos passes no meio de campo, mas a primeira etapa encerrou com um gol para cada lado.

Um dos melhores jogadores do primeiro tempo, o atacante Tenório mostrou que o Vasco é realmente o time da virada logo na primeira chance da equipe na segunda etapa. Após cruzamento do Reizinho, o equatoriano não perdeu a oportunidade e, de cabeça, anotou o dele, aos cinco minutos. O Vasco manteve a mesma pegada após o gol e chegava com perigo, principalmente com passes de Juninho, que era ovacionado pela torcida. Já o Figueirense encontrava dificuldades na criação, mas por pouco não empatou aos 19, após belo toque de Julio Cesar, defendida com estilo por Prass.

Com a vantagem no placar, o Vasco apertou o acelerador e administrou a partida. As substituições feitas por Marcelo Oliveira não surtiram efeito e a equipe passou a encontrar dificuldades na criação das jogadas. O Figueirense viu que poderia apertar na busca pelo segundo gol, levava perigo aos defensores cruz-maltino, principalmente com a entrada de Aloisio, mas esbarrava na boa atuação de Fernando Prass.

Para coroar a ótima noite, coube ao meia Juninho marcar o terceiro gol vascaíno e fechar o caixão do Figueira. Após cobrança de escanteio de Bastos, aos 33 minutos, Dedé ajeitou a bola e o Reizinho bateu com estilo para liquidar o marcador. Mesmo em um ritmo mais lento, o Vasco se manteve superior na partida e seguia dando trabalho aos defensores do Figueirense. Com a larga vantagem, até o zagueiro Dedé arriscou algumas jogadas no ataque, mas o placar terminou mesmo 3 a 1 para o Gigante da Colina, em São Januário.

Do Ig