BESSA GRILL
Início » Destaque » Da prata no vôlei a ouro inédito no boliche!Confira as conquistas do Brasil no Pan

Da prata no vôlei a ouro inédito no boliche!Confira as conquistas do Brasil no Pan

26/07/2015 01:24

Com gol olímpico e festa de Formiga, Brasil goleia Colômbia e leva o ouro

O gol no começo da partida deixava claro que a festa seria para Formiga. Afinal, foram 12 anos desde que a volante conquistou a sua primeira (agora entre quatro) medalha em Jogos Pan-Americanos. Se despediu da competição continental da melhor forma que podia: sendo titular, capitã e novamente no topo do pódio. Marcou o seu, logo no começo, e como a referência que se tornou aos 37 anos, abriu o caminho para a goleada brasileira. Ainda viu Maurine trazer mais brilho ao seu adeus com um belo gol olímpico, além de Andressa, em grande noite, e Fabiana fecharem a conta para sacramentar o triunfo por 4 a 0 sobre a Colômbia. Com o tricampeonato pan-americano, as meninas do futebol voltaram a ser douradas. Na decisão do terceiro lugar, o México venceu o Canadá por 2 a 1, ficando com a medalha de bronze.

Brasil x Colômbia - Pan de Toronto - Futebol Feminino (Foto: Tom Szczerbowski/ USA TODAY Sports)

O topo do pódio em Toronto 2015 foi o terceiro da carreira de Formiga e da seleção brasileira de futebol feminino. Foram campeãs em Santo Domingo 2003 e Rio 2007. Em Guadalajara 2011, a seleção feminina foi medalha de prata ao perder nos pênaltis para o Canadá. A volante, que tem duas pratas olímpicas, já anunciou que segue na seleção até os Jogos Olímpicos de 2016.

– Nada melhor do que ser campeã, levar essa medalha e coroar esse trabalho. Ficamos super tristes com a saída do Mundial. Fechamos e decidimos que nada melhor do que dar a resposta para quem nos criticou, que não sabe da nossa luta. Sabíamos que ia ser difícil, pela qualidade da Colômbia. Nossa resposta está aí – disse Formiga

A equipe brasileira mostrou fôlego em Toronto, afinal, jogou duas competições fortes em sequência. Semanas antes do Pan, o time disputou a Copa do Mundo de futebol feminino, também no Canadá. A equipe foi eliminada nas oitavas de final, pela Austrália, e voltou ao país para mais um torneio. Principal estrela, Marta, no entanto, não disputou a competição continental.Não precisou de muito tempo para o Brasil abrir o marcador. Ignorando a festa que a numerosa e barulhenta torcida colombiana fazia em Hamilton, Thaisa recebeu um bom passe após uma falta e cruzou com precisão para Formiga iniciar, com maestria, sua participação na final pan-americana: 1 a 0 aos sete minutos. O jogo ficou um pouco parado, sem grandes chances dos dois lados. Morno, mas sem problemas para as brasileiras. No fim da etapa, a goleira Sepulveda entrou forte em um dos muitos bons lances de Andressa Alves na área, mas a juíza Mirian Leon, de El Salvador, seguiu o jogo.

Com grande atuação coletiva, Brasil supera o Canadá e é ouro no basquete

Do início ao fim, a seleção brasileira dominou o Canadá. Jogou com autoridade, sem sentir a pressão de enfrentar os anfitriões e uma torcida barulhenta no ginásio de Ryerson, em Toronto. A vitória por 86 a 71, neste sábado, coroou uma campanha praticamente impecável nestes Jogos Pan-Americanos. O Brasil venceu os cinco jogos. Teve em Vitor Benite o cestinha da competição com 18,2 pontos de média. A medalha de ouro – a quarta nas últimas cinco edições do Pan – significa também a primeira conquista do técnico Rubén Magnano no comando da seleção.

Basquete; Brasil; Jogos Pan-Americanos (Foto: Gaspar Nobrega/inovafoto)

Anthony Bennett foi o cestinha da partida com 18 pontos. Pelo Brasil, Augusto Lima, Larry Taylor e Rafael Hettsheimeir fizeram 13 pontos cada. Mais cedo, os Estados Unidos venceram a República Dominicana por 87 a 82 e ficaram com o bronze.

No último Pan, em Guadalajara, o Brasil havia ficado em quinto lugar. Mesmo com uma seleção sem grandes estrelas, Ruben Magnano conseguiu reunir um grupo competitivo, que entendeu a filosofia do treinador de muita marcação e um jogo coletivo. Passeou pelos adversários e só teve dificuldade na semifinal contra a República Dominicana. O título foi o primeiro também do basquete brasileiro após a criação do NBB. Dez jogadores disputam o torneio. E três passaram também pela Liga de Desenvolvimento, criada para ajudar na revelação de jovens talentos.

O próximo compromisso da seleção brasileira agora será a Copa América, que vai classificar para as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. A competição será disputada na Cidade México, a partir de 31 de agosto. Caso a Federação Internacional de Basquete (Fiba) não confirme a vaga direta para o Brasil na reunião do dia 7 de agosto, em Tóquio (JAP), a seleção vai precisar ficar em primeiro ou segundo do torneio para se classificar.

Maik salva, Brasil vence Argentina no tempo extra e leva o ouro no handebol

Eles estavam engasgados. Algozes da seleção brasileira masculina de handebol nas três últimas finais que disputaram, os argentinos entraram com certo favoritismo, mas acabaram tendo que voltar para Buenos Aires com a prata. Atuais campeões pan-americanos, os hermanos deixaram o Brasil de fora dos Jogos Olímpicos de Londres ao vencerem a decisão em Guadalajara 2011. O troco veio neste sábado na decisão do Pan de Toronto, com atuação decisiva do goleiro Maik e com direito a prorrogação. Em quadra, as recentes derrotas para os rivais não apenas motivaram a seleção, mas criaram uma atmosfera diferente para o duelo vencido pela seleção por 29 a 27. Mesmo com os dois times garantidos nas Olimpíadas do Rio, no ano que vem, a catimba e a rivalidade estiveram presentes em cada disputa de bola que trouxe de volta a hegemonia da competição para o Brasil.

Brasil Argentina final handebol pan toronto (Foto: Getty Images)

– Precisava fazer meu melhor, ser intenso para sair com a medalha de ouro. Vivi cada momento dentro do gol, isso é importante. Desfrutar de cada defesa, cada lance. Era uma luta. E sabíamos que nessas lutas íamos somando e no final poderíamos ter um placar vitorioso – disse Maik.

A campanha brasileira em Toronto foi irretocável. O Brasil venceu Porto Rico na estreia por 34 a 17, depois bateu o Uruguai por 38 a 18. Fechando a primeira fase, o triunfo foi diante da República Dominicana por 48 a 18. Nas semifinais, o Chile não foi páreo para a seleção e acabou derrotada por 34 a 24. A seleção brasileira agora mira agora os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, no ano que vem. O time já disputou o Mundial este ano, em janeiro, no Catar, e caiu nas oitavas de final para a Croácia por apenas um gol.

Filme se repete: após perder no GP, Brasil cai para os EUA e é prata no Pan

Dois jogos no mesmo dia, duas derrotas para os Estados Unidos. Primeiro, no Grand Prix, o Brasil perdeu por 3 a 0 na série das finais em Omaha. Depois, na decisão dos Jogos Pan-Americanos de Toronto, o filme se repetiu. O placar foi o mesmo: 3 a 0. Em Toronto, a seleção de José Roberto Guimarães foi derrotada com as parciais de 22/25, 21/15 e 28 a 26. Assim, ficou com a medalha de prata. As americanas não sabiam o que era ganhar um Pan desde a edição de 1967, coincidentemente em Winnipeg, também em solo canadense.

Brasil x Estados Unidos vôlei feminino pan-americano 2015 (Foto: Gaspar Nobrega/inovafoto)

O primeiro set foi apertado, principalmente no início, mas Nicole Fawcett estava bem demais e ajudou os EUA a fecharem a parcial. Foi ela, aliás, a maior pontuadora, com 21 pontos. Na segunda parcial, o Brasil começou mal e chegou a estar perdendo por uma vantagem de cinco pontos. Jaque foi a solução. No banco até então por um problema na lombar que a tirou de um jogo e a fez atuar apenas um set na semi, ela entrou e encheu o jogo de energia. Mas as estrangeiras eram superiores e abriram 2 a 0. O terceiro set parecia da equipe verde e amarela mas, após estar vencendo por oito pontos, o Brasil levou a virada, e a derrota se confirmou.O Brasil teve uma campanha apertada, mas saiu invicto da primeira fase do Pan. Venceu Porto Rico por 3 a 2, derrotou o Peru por 3 a 1 e, contra os Estados Unidos, sofreu para virar no tie-break e triunfar por 3 a 2. Dessa forma, ficou em primeiro lugar do grupo e foi direto para as semis. De novo contra Porto Rico, fez 3 a 2 e conquistou o direito de disputar a medalha de ouro. Mas sucumbiu para os EUA e foi prata.

Suartz conquista ouro inédito no boliche

Marcelo Suartz fez história no boliche. Neste sábado, em Toronto, ele venceu o venezuelano Amleto Monacelli na final por 201 a 189  e conquistou a 1ª medalha de ouro do Brasil na história da modalidade no Pan.

Marcelo Suartz também conquistou medalha de bronze no Pan de Guadalajara, em 2011

Essa é a segunda participação do brasileiro em Jogos Pan-Americanos – e a segunda medalha. Em 2011, em Guadalajara, Marcelo havia conquistado o bronze. Hoje, ele é o grande nome do esporte no país – já havia conquistado o Campeão Brasileiro e os Jogos Sul-Americano de Santiago no ano passado.

Marcelo, de 27 anos, começou a jogar boliche ainda criança, aos 4. E suas principais influências vieram de casa, já que seus pais estrearam na modalidade há mais de 30 anos. Com o dom nas veias, o brasileiro começou a levar o boliche a sério a partir dos 11 anos. Foi o início de sua trajetória, que hoje culminou em ouro inédito para o Brasil.