BESSA GRILL
Início » Esportes » Brasil ganha 3 ouros no Mundial de natação

Brasil ganha 3 ouros no Mundial de natação

4/12/2014 17:22

nataçãoFelipe França fechou a quinta-feira no Mundial de Piscina Curta, no Qatar, com três medalhas de ouro conquistadas: revezamento 4×50 medley masculino, 100m peito e, por fim, no revezamento 4×50 medley misto.

Foi uma maratona perfeita para o brasileiro. A partir do revezamento 4×50 masculino, o primeiro ouro do país, com poucos intervalos entre as provas, Felipe conseguiu construir bons resultados.

O segundo ouro veio menos de uma hora após Felipe ajudar o time brasileiro de revezamento a ganhar a medalha de ouro nos 4x50m medley masculino, Felipe França voltou à piscina e conquistou o lugar mais alto do pódio nos 100m peito com o tempo de 56s29. Esta marca foi a melhor já registrada em um Mundial de piscina curta. A segunda posição ficou com o britânico Adam Peaty 56s35 e o bronze com o francês Giacomo Dortona, com 56s78.

O dia foi fechado com o ouro “imprevisto” no 4×50 medley misto. O Brasil chegou a ficar em 5º na prova, mas se recuperou, conseguindo a medalha dourada. Junto a Felipe, Etiene Medeiros,  Larissa Oliveira e Nicholas Santos terminaram em primeiro com o tempo de 1min37s26. “Conseguimos um excelente resultado para o Brasil”, disse Nicholas Santos ao Sportv logo depois da prova.

“Fechamos o dia com chave de ouro. Foi um dia bem puxado. Mas fechamos com felicidade”, afirmou Felipe em entrevista ao SporTV.

Esta foi a sexta medalha de Felipe França em sua carreira em um Mundial de piscina curta. Ele já havia ganho três em Dubai-2010 (ouro nos 50m peito e bronze nos 100m peito e 4x100m medley), além do ouro nesta quinta no revezamento 4x50m medley.

Outros resultados:

Após o revezamento 4x50m meldey, César Cielo voltou à piscina para a semifinal dos 50m livres. O brasileiro conseguiu se classificar em primeiro, com o melhor tempo da semi: 20s80.

“Eu acho que minha saída não foi tão boa, foi uma correria do pódio para colocar o maiô. A caminhada é longa do pódio. Dei um “migué” para os caras verem que estou sobrando um pouquinho para conseguir um tempo muito melhor amanhã, espero que seja suficiente para ser primeiro. O Manaudou (Florient) também controlou. Hoje foi todo mundo na 4ª marcha. 50m um centésimo pode ser a diferença entre o ouro e a prata”, disse Cielo após a prova ao Sportv.

Após conseguir sua medalha de ouro no revezamento, Guilherme Guido voltou à piscina para a final dos 100m costas e terminou em 5º lugar com o tempo de 50s21 dividindo a posição com Christian Diener. Mtchell Larkin foi o campeão. O australiano fez os 100m em 49s57.

Nas semifinais, Larissa Oliveira conseguiu passar para a final dos 100m livres, com o 10º tempo (52s75). Daynara de Paula e Daiene Dias também entraram na água pela semifinal dos 50m borboleta. Daynara conseguiu passar à final com o 6º melhor tempo (25s54).

Na final dos 100m costas, Etiene Medeiros acabou apenas na sétima colocação. Ela completou a prova em 57s72, bem distante da vencedora, Katinka Hosszú. Após duas decepções na quarta-feira, a húngara levou seu primeiro ouro na competição com direito a recorde mundial: 55s03.

“Não deu para ir melhor, mas estou muito feliz com esta primeira final em um Mundial. Ainda tenho outras provas para disputar”, disse Etiene em entrevista ao SporTV.

Na final dos 100m borboleta, o brasileiro Marcos Macedo acabou na oitava e última colocação, com o tempo de 50m47. Nesta mesma prova, o sul-africano Chad Le Clos acabou com o ouro e recorde mundial: 48s44.

Fechando o dia, a seleção brasileira entrou na piscina novamente para o revezamento 4×200 livre. A equipe formada por João de Lucca, Gustavo Godoy, Fernando Santos e Gabriel Ogawa terminou em 6º com o tempo de 6min54s53, recorde sul-americano.