BESSA GRILL
Início » Entretenimento » Destinos sossegados para passar o Réveillon

Destinos sossegados para passar o Réveillon

Conheça 13 lugares pelo Brasil para fugir do agito e descansar neste fim de ano

26/12/2012 06:07

Praias lotadas, aglomeração para ver fogos de artifício e fila para almoçar naquele disputado restaurante à beira-mar podem não ser o cenário mais desejado pelos turistas que planejam uma viagem para o final de ano. Se você é do tipo que prefere ler um livro silenciosamente ao lado da piscina ou fazer uma trilha para chegar a uma praia deserta , veja algumas opções de destinos sossegados pelo Brasil, para curtir o Réveillon sem estresse.

Barra de São Miguel – AL

Getty Images

Ilha Dois Corações, em Barra de São Miguel: longe do agito

No Sul de Alagoas, a cerca de 30 quilômetros da capital Maceió, Barra de São Miguel tem praias de areia fina, águas cristalinas, piscinas naturais e barreiras de corais. O lugar é ideal para quem busca tranquilidade total – o sossego só é quebrado mesmo no Carnaval, quando a cidade realiza uma grande festa. Entre as praias locais, a Barra de São Miguel é a mais urbanizada. Já a Praia do Meio é excelente para mergulho. A das Conchas é boa para banhistas. Quem gosta de natureza também não deve deixar de conhecer os manguezais às margens do rio Niquim.Leia mais: Top 10 – Praias do Nordeste

Bonito – MS

Bonito é um dos lugares mais indicados para os amantes da natureza e dos esportes radicais. O local reúne águas cristalinas, cachoeiras, grutas, cavernas e piscinas naturais com belezas paradisíacas. Além de trilhas no meio de matas e descidas nas corredeiras dos rios, os mais aventureiros podem também encarar um rapel pelo Abismo Anhumas. Outro ponto imperdível é a gruta do Lago Azul, um dos cartões-postais mais famosos deste paraíso sul mato-grossense.
Leia mais: 15 razões para conhecer Bonito

Brotas – SP

Rafting, canoagem, tirolesa, arvorismo, boia-cross e caiaque são os grandes atrativos de Brotas, um dos principais destinos de aventura em São Paulo. Distante 240 quilômetros da capital paulista, o lugar é cercado de natureza, ideal para uma cavalgada ou para percorrer trilhas a pé em contato direto com a fauna e flora da região. No local, também não deixe de conhecer as belas cachoeiras, como a Cassarova, a do Martello e a Astor.

Cambará do Sul – RS

Getty Images

Cânion Itambezinho, um dos mais belos em Cambará do Sul

As belas paisagens dos cânions são a atração principal para os turistas em Cambará do Sul, cidadezinha localizada a 250 quilômetros ao Norte de Porto Alegre. Com 5,8 quilômetros de extensão, o cânion Itaimbezinho, no Parque Nacional Aparados da Serra, já foi cenário de novelas e minisséries de TV. Já o cânion Fortaleza é o maior da cidade, com paredões de 7,5 quilômetros de extensão e, em alguns pontos, até 900 metros de altura. A trilha para chegar ao topo tem 3 quilômetros (ida e volta), em uma caminhada que dura aproximadamente 1h30.

Chapada dos Veadeiros – GO

Este paraíso no cerrado goiano é ideal para quem procura fugir do agito, mas quer preencher os últimos dias do ano com uma certa dose de aventura. Trilhas e caminhadas – com diferentes níveis de dificuldade – levam a cânions, piscinas naturais e cachoeiras deslumbrantes. Declarada Patrimônio Mundial Natural pela Unesco, a Chapada chama a atenção pelo cenário de vegetação nativa, onde um dos grandes prazeres é não fazer nada, apenas observar as belas paisagens da região.

Leia mais: Conheça as principais atrações da Chapada dos Veadeiros

Cunha – SP

A 1.100 metros de altitude, a estância climática de Cunha, no interior de São Paulo, atrai pela tranquilidade e pelas belas cachoeiras. A do Pimenta, a do Desterro e a do Mato Dentro são algumas das quedas d´água que encantam os turistas. Quem curte trilhas, vai adorar caminhar pelo Pico da Pedra da Macela, um dos pontos mais altos da cidade, a 1.840 metros. Já o Parque Estadual Serra do Mar preserva importantes áreas remanescentes da Mata Atlântica, enquanto o Parque Nacional da Bocaina oferece cachoeiras e vistas panorâmicas da região. Também não deixe de apreciar o artesanato local, especialmente as cerâmicas de alta temperatura produzidas na região.

Ilha de Boipeba – BA

Getty Images

Ilha de Boipeba tem 20 quilômetros de praias paradisíacas

Inserida no Arquipélago de Tinharé, no município de Cairu, no Sul da Bahia, a Ilha de Boipeba é cercada pela Mata Atlântica e tem 20 quilômetros de praias paradisíacas. Composto pelos povoados de Velha Boipeba, Moreré e São Sebastião, o destino tem ainda restinga, dunas e manguezais. Para chegar a este paraíso, a partir de Salvador saem pequenos aviões para a ilha. Em frente ao Mercado Modelo, embarcações partem diariamente para Morro de São Paulo. De lá, ainda é preciso pegar uma lancha que leva a Boipeba

Itamonte – MG

Com um trecho preservado de Mata Atlântica, Itamonte tem rios e cachoeiras encantadoras. Localizada a 220 quilômetros do Rio de Janeiro e a 250 quilômetros de São Paulo, a cidade mineira também agrada tanto os ávidos por aventura, com atividades como trekking, montanhismo e rapel, como aqueles que desejam apenas descansar em meio à natureza. No destino, além das delícias da culinária mineira, não deixe de apreciar a truta e o pinhão, sempre presentes nos cardápios dos restaurantes locais.

Jalapão – TO

Com dunas de encher os olhos, belas praias de rio e cachoeiras encantadoras, a região de Jalapão é boa pedida para os aventureiros. O melhor jeito de desvendar o local é acampando à beira do Rio Novo – geralmente, de modo rústico, sem luz elétrica. Ali, canoagem, rafting e boia-cross são algumas das atividades para os turistas. Formado por oito cidades, o Jalapão tem como porta de entrada o município de Ponte Alta, com pouco mais de 7 mil habitantes, onde está a maior parte das hospedagens.

Leia mais: Jalapão, uma ecoaventura no cerrado

Paraty – RJ

Getty Images

Construções históricas se destacam na paisagem de Paraty

Embora tenha uma programação especial para o Réveillon, Paraty ainda é uma opção tranquila para passar o fim de ano. Com ilhas, praias e cachoeiras, a cidade localizada na divisa entre os estados doRio de Janeiro e São Paulo reserva também passeios de escuna, galerias de arte e construções históricas. Entre uma praia e outra, não deixe de visitar o centro histórico, com suas ruas de pedras, casarões coloniais e deliciosos cafésLeia mais: Paraty tem história e natureza

Petrópolis – RJ

A cidade de Petrópolis, a 70 quilômetros da capital fluminense , é ótima opção para quem gosta de viagens culturais. No Centro Histórico, os turistas podem visitar o Palácio Amarelo, construído em 1894, e a Catedral São Pedro de Alcântara, onde estão os restos mortais de Dom Pedro II, Dona Teresa Cristina, Conde d’Eu e Princesa Isabel. Entre os museus, o Imperial, em estilo neoclássico, é um dos mais bonitos e abriga a coroa e o manto da realeza, além de móveis, joias, porcelanas e peças de arte. Também merecem visita o Palácio de Cristal, de 1884; o Palácio Quitandinha, antigo hotel de luxo, e o Palácio Rio Negro, que servia de residência oficial de veraneio dos antigos presidentes.

Leia também: Um passeio na história de Petrópolis

Santo André – BA

A apenas 25 quilômetros da agitada Porto Seguro, Santo André é uma antiga vila de pescadores localizada às margens do rio João de Tiba. Rústico, o povoado baiano tem 13 quilômetros de praiaspreservadas, piscinas naturais e mangues. O recife de Araripe, por exemplo, é ótimo para quem gosta de mergulhar. O pôr-do-sol na foz do rio João de Tiba também é passeio obrigatório. Com pouco mais de 750 mil habitantes, para chegar até lá é preciso pegar uma balsa em Porto Seguro até Santa Cruz Cabrália.

Leia também: Dê um pulinho ao lado

São Miguel do Gostoso – RN

Sabrina Duran

Praia do Santo Cristo, em São Miguel do Gostoso, é ideal para kite e windsurf

São Miguel do Gostoso é uma pacata vila de pescadores com praias tranquilas e ruas de terra, a 100 quilômetros de Natal (RN). O lugar é ideal para quem quer fugir do agito e provar dias de total descanso. Dá para fazer tudo a pé ou de bicicleta – um ótimo exercício para percorrer os pontos turísticos do local, como a igreja de São Miguel Arcanjo, construída no século 19. Pousadas simples e pequenos restaurantes de culinária local dão um toque especial ao destino.Leia também: 10 razões para ir a São Miguel do Gostoso 

Do Ig