BESSA GRILL
Início » Destaque » Paul McCartney lota recém-inaugurado Mineirão

Paul McCartney lota recém-inaugurado Mineirão

Com carisma e emoção, falhas no show do artista não tiram brilham de estreia de turnê mundial

5/05/2013 07:33

Show de Paul McCartney no Mineirão. Foto: Marcos Hermes/Divulgação

Um estádio de futebol lotado por cerca de 50 mil pessoas e um craque da música. Ingredientes da estreia mundial da turnê “Out There”, do britânico Sir Paul McCartney. Pela primeira vez o ex-beatle tocou em Belo Horizonte, a capital mineira, que criou a campanha “Paul, vem falar uai”. E foi logo na quarta música que o artista disparou, para delírio dos fãs: “It´s great to be here (É ótimo estar aqui). Paul finalmente vem falar uai”.

Mantendo o estilo carismático e falando português com sotaque mineiro, nem mesmo algumas falhas de som após mais de uma hora de show deixaram o público desapontado. Pelo contrário. No começo da apresentação, aberta com “Eight days a week”, o público ainda parecia não acreditar que o britânco estava ali, pronto para falar o “mineirês”.

Veja também: Público chega ao Mineirão para show de Paul McCartney

Paul McCartney vai abrir nova turnê mundial com três shows no Brasil

Show de Paul McCartney no Mineirão. Foto: Marcos Hermes/Divulgação
5/10

O show de abertura da turnê mundial teve homenagens para a atual esposa de Paul, Nancy, além de Linda McCartney, morta em 1998, e dos ex-beatles que também já morreram George Harrison e John Lennon.

Sir Paul surgiu no palco especialmente trazido da Inglaterra às 21h23, sete minutos antes do tempo previsto. Mais que britânico, ele surpreendeu a criança que perguntou à sua mãe, dois minutos antes da apresentação: “Mãe, ser pontual é na hora, ou um pouco antes?”.

Foram duas horas e trinta e sete minutos de apresentação, sem demonstração nenhuma de cansaço. Após a abertura com “Eigh days a week”, foi a vez de “Junior Farm”. “Boa note. Boa noite, povo bão”, disse Paul antes da terceira canção: “All my loving”.

O próximo capítulo da especial apresentação no Mineirão foi marcado por “Listen to what the man said”, com exibição de imagens dos Beatles em telão. Munido de uma “colinha”, Paul confessou: estava decidido a tentar falar português. Com a ressalva de sempre, falaria mais inglês.

Embalada pela bateria e guitarras, veio “Let me roll it”, momento em que Paul deixou o casaco azul claro e “arregaçou as mangas”, ganhando o coro de milhares de fãs, neste momento, já habituados com a ideia de que, sim, Paul estava ali, vestido de camisa branca com detalhes em preto e pisando no chão do palco com iluminação vermelha.

Enquanto Paul usava uma calça azul escura e camisa clara, todo restante da banda trajava roupas pretas. O ex-beatle se divertia falando português e levantando seu contrabaixo utilizado em gravações históricas da década de 1960. Logo veio “My Valentine”, lançada no ano passado em homenagem à atual esposa Nancy. No telão foi exibido o videoclipe da canção, estrelado pela atriz Natalie Portman e o ator Johnny Depp.

Com Paul ao piano, vieram, além de “My Valentine”, “1985” e a clássica “Long and winding road”. O telão exibia paisagens bucólicas de natureza. Na ponta da lingua, Paul dizia: “Thank you. Obrigado Beagá”. A homenagem à ex-esposa Linda chegou em meio à pergunta: “Cês estão gostando?”

Siga o iG Cultura no Twitter

As clássicas “We can work it out” e “Another day” embalaram o publico, assim como “And I love her” e “Blackbird”, esta última executada por Paul em palco especial, suspenso por uma espécie de caixa que exibia uma pomba branca com fundo azul. Na sequência surgiu, “para o amigo John”, a canção “Here Today”.

Ajeitando as calças em vários momentos, Paul utilizou guitarra e teclado coloridos que remetiam à alegria dos Beatles. Imagens de um Paul jovem foram exibidas no show no Mineirão. A apresentação reuniu público de jovens e os mais maduros, jovens à época dos Beatles, como o próprio Paul.

Novidade apareceu na sequência de “Eleanor Rigby” e “Mr. Kite”, executadas em palco ambientado por cortina de fumaça roxa graças ao efeitos de sua produção com luzes e laser. Em homenagem a George Harrison, Paul tocou “Something” e, levantando o público, na sequência, veio “Obla di obla da”.

Foi neste momento do show que surgiu falha no som. Em “Band on the run”, houve duas falhas de som. Enquanto Paul e sua banda tocavam a música, o som sumiu por duas vezes, primeiro por cinco segundos e, depois, por 10 segundos. Paul McCartney aparentemente ignorou, assim como o público. O ex-beatle e o povo não reclamaram.

Após vários cartazes de “Thank you” exibidos pelo público, Paul fez dois bis, com direito a assinar abaixo das costelas, a lateral do tronco do corpo de Cecília, onde a garota tem tatuagem com as silhuentas dos quatro garotos de Liverpool. Ao lado de Cecília, subiram ao palco Priscila, Luisa e Camila.

A estreia da turnê mundial de Paul foi encerrada com “Golden Slumbers”, em meio a fogos de artifício e chuva de papel picado verde, amarelo e azul. Os fogos também já haviam sido instrumento especial de “Live and et die”, momentos antes.

Veja a setlist completa do show:

– Eight days a week
– Junior Farm
– All my loving
– Listen to what the man said
– Let me roll it
– Paperback writer
– My valentine
– 1985
– Long and winding road
– Maybe I´m amazed
– Hope of deliverance
– We can work it out
– Another day
– And I love her
– Blackbird
– Here today
– Mother should know
– Lady Madonna
– All together now
– Mrs Vanderbilt
– Eleanor Rigby
– Mr. Kite
– Something
– Obla di obla da
– Band on the run
– Hi hi hi
– Back in the USSR
– Let it be
– Live and let die
– Hey Jude
– Day tripper
– Lovely Rita
– Get back
– Yesterday
– Helter Skelter
– Golden Slumbers

Ig