Ex-ministro de Temer é apontado como um dos responsáveis por esquema de liberação de créditos indevidos junto à Caixa entre os anos de 2001 e 2013

Ex-ministro Geddel Vieira Lima foi responsável pela articulação do governo Temer até novembro do ano passado
Valter Campanato/ABr – 25.04.16

Ex-ministro Geddel Vieira Lima foi responsável pela articulação do governo Temer até novembro do ano passado

A Polícia Federal cumpre, na manhã desta sexta-feira (13), sete mandados de busca e apreensão em uma operação para investigar um esquema de fraudes na liberação de créditos junto à Caixa Econômica Federal, entre 2001 e 2013.

Um dos alvos da operação é o ex-ministro, Geddel Vieira Lima (PMDB), que foi responsável pela articulação do governo Temer até novembro. Nesta manhã, a Polícia Federal fez uma busca em um imóvel seu em Salvador. No período investigado pela ação, Geddel foi vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa.

A polícia realiza a operação com base em informações encontradas em um celular achado na residência oficial da Câmara, quando era ocupada pelo deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB). O aparelho foi submetido a perícia.

Na perícia no aparelho celular, a polícia extraiu o que chama de “uma intensa troca de mensagens eletrônicas” entre Cunha e Geddel.

As mensagens indicariam “a possível obtenção de vantagens indevidas pelos investigados em troca da liberação para grandes empresas de créditos junto à Caixa Econômica Federal, o que pode indicar a prática dos crimes de corrupção, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro”, de acordo com a PF.

Ex-presidente da Câmara, Cunha é alvo da operação, que tem como fonte celular achado em residência oficial
José Cruz/Agência Brasil – 13.07.2016

Ex-presidente da Câmara, Cunha é alvo da operação, que tem como fonte celular achado em residência oficial

O caso vinha sendo investigado no Supremo Tribunal Federal (STF), mas foi encaminhado para a Justiça Federal do DF depois que um dos investigados perdeu o foro privilegiado após deixar a função pública. Geddel deixou o cargo em novembro.

O esquema, segundo a PF, envolveria também um vice-presidente de gestão de ativos da Caixa, um servidor da Caixa, empresários e dirigentes de empresas dos ramos de frigoríficos, de concessionárias de administração de rodovias, de empreendimentos imobiliários, além de um operador do mercado financeiro.

Operação Cui Bono

Os mandados da operação Cui Bono foram expedidos pela 10ª Vara Federal do DF. A operação está sendo deflagrada no Distrito Federal, na Bahia, no Paraná e em São Paulo.

www.reporteriedoferreira.com Por Ig