Um dos nomes cotados para disputar o Senado Federal nas eleições de 2022, na vaga deixada pelo senador Zé Maranhão (em memória), o ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB) tem evitado comentar o tema, sobretudo com a imprensa.

Nesta quinta-feira (08) a reportagem do PB Agora entrou em contato como ex-parlamentar, via whatsApp, para repercutir a possibilidade de seu retorno ao páreo pelo Senado, sobretudo após a publicação da coluna do jornalista Wellignton Farias, no portal PB Agora, dando conta que o tucano, entre os cotados atualmente, seria o que levaria a vitória com facilidade.

Cássio, no entanto, agradeceu o contato e pediu a compreensão da reportagem, ao afirmar que não estava concedendo entrevista.

“Agradeço a gentileza do contado. Peço sua compreensão mas não tenho concedido entrevistas”, respondeu.

Nas redes sociais, a última postagem do tucano foi há três dias, quando agradeceu às felicitações pela passagem de seu aniversário. No texto, no entanto, Cássio deixou claro sua capacidade de se reinventar.

“Venci e perdi. Cai e me levantei. Sempre consegui me reinventar, nunca desisti, sempre lutei. Aprendo e tento ensinar todos os dias. Sirvo ao meu semelhante sempre que posso, com devoção e amor. Não posso mudar o mundo, esse sonho já não carrego mais, porém procuro transformar para melhor as vidas que me cercam. Algumas vezes com gestos simples, com uma simples palavra de atenção e aconchego, outras tantas com atitudes concretas, que vão além do que se possa imaginar. Nasci para servir, morrerei servindo. É o meu melhor que Deus me concedeu. Quando faço, procuro fazer bem-feito, ofertando sempre o meu melhor”, postou ele.

Nos bastidores, a informação é de que o ex-senador pode entrar na disputa por uma vaga na Câmara Federal caso o filho, Pedro Cunha Lima (PSDB), desista da reeleição para encarar a disputa pelo Governo da Paraíba. O PB Agora tentou insistir como senador sobre essa possibilidade de disputar a proporcional, mas Cássio preferiu não responder sobre o tema.

www.reporteriedoferreira.com.br      PB Agora