BESSA GRILL
Início » Destaque » Bombeiro morre em combate a incêndio florestal em Portugal

Bombeiro morre em combate a incêndio florestal em Portugal

Morte de jovem de 22 anos ocorreu em Viseu. Outros 9 bombeiros ficaram feridos.

23/08/2013 05:00

Incêndio consome floresta em Portugal. (Foto: Francisco Seco/AP)Incêndio consome floresta em Portugal. (Foto: Francisco Seco/AP)

Um bombeiro morreu nesta quinta-feira (22) à tarde e nove ficaram feridos, um deles com gravidade, em um grande incêndio nos arredores de Viseu, no centro de Portugal, indicaram as equipes de emergência no local.

A morte foi confirmada à imprensa portuguesa pelo comandante José Bismarck, que coordena os serviços de emergência no local. O bombeiro era uma jovam, de 22 anos, que era de Lisboa e tinha se deslocado para Tondela para reforçar as equipes mobilizadas no combate aos incêndios que se agravaram nos últimos dias.

Além disso, nove bombeiros ficaram feridos, um deles com gravidade, e foram retirados de helicóptero, quando lutavam contra as chamas nas montanhas de Tondela, no distrito de Viseu.

incêndio Tondela Portugal Reuters (Foto: Reuters)Grupo tenta conter chamas em incêndio em Tondela (Foto: Reuters)

Os bombeiros foram surpreendidos pelas chamas, que rapidamente os cercaram, explicou Bismarck à agência de notícias Lusa, indicando que nenhuma casa estava em perigo.

No total, mais de 1.000 bombeiros lutavam contra 13 grandes focos no norte e no centro do país.

As regiões de Vila Real (norte) e de Viseu concentravam os incêndios maiores. Outro incêndio avançava no parque natural de Duero, em Miranda do Douro, na fronteira com a Espanha (nordeste), onde bombeiros estavam mobilizados de ambos os países.

As autoridades decretaram nesta quinta-feira alerta máximo em 20 distritos diante do risco de novos incêndios, enquanto o país continua a registrar temperaturas elevadas.

Segundo o último relatório do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), cerca de 31.000 hectares pegaram fogo em Portugal entre 1º de janeiro e 15 de agosto, contra 110.000 hectares no ano passado.

G1