BESSA GRILL
Início » Cidades » Advogado de Mariana garante veracidade de relato sobre Dom Aldo

Advogado de Mariana garante veracidade de relato sobre Dom Aldo

Iarley afirmou não saber o motivo pelo qual sua constituinte chegou a negar a procedência da denúncia contra Dom Aldo na primeira vez que foi ouvida sobre o assunto:

28/10/2015 16:10

X7JVTTXT-1A propósito de questionamentos feitos hoje pelo advogado Sheyner Asfora, representante jurídico do Arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, a respeito de “contradições” em depoimentos prestados pela cuidadora de idosos Mariana José Araújo da Silva, autora de uma carta na qual narra supostos relacionamentos homoafetivos do religioso, o também advogado Iarley Maia, constituído pela cuidadora, procurou a imprensa para garantir que não há duas versões sobre os episódios. Segundo ele, Mariana garante ser verdadeiro o conteúdo da carta que chegou a ser divulgada em alguns sites tratando de casos afetivos do arcebispo com rapazes.

“Ela concorda com todos os termos e assinou a carta comprovando isso. O advogado do arcebispo disse que existem dois depoimentos, mas ele sabe bem que o depoimento em sede de inquérito policial para valer para um processo precisa ser confirmado perante o juiz. Em resumo, reitero: dona Mariana garante o teor da carta”, assegurou.

Iarley afirmou não saber o motivo pelo qual sua constituinte chegou a negar a procedência da denúncia contra Dom Aldo na primeira vez que foi ouvida sobre o assunto: “Eu ainda não era advogado dela e não acompanhei o caso naquele momento, mas ela me disse que foi sozinha e que se sentiu intimidada”.

Por fim, Iarley explicou que, como disse Sheyner, sua cliente é uma mulher humilde e acrescentou que está advogando para ela de graça: “Fico lisonjeado por ele ter citado meu escritório como um dos mais caros da Paraíba, mas estou fazendo para dona Mariana a advocacia pro-bono. Não estou cobrando nada e não há manipulação no que ela diz”.

Dom Aldo Pagotto ingressou com uma queixa-crime contra Mariana na 1ª delegacia seccional. As partes aguardam a notificação da Justiça para comparecerem a uma audiência de conciliação.

www.reporteriedoferreira.com