BESSA GRILL
Início » Colunistas » SEM PRESSA: Por Lena Rolim Guimarães

SEM PRESSA: Por Lena Rolim Guimarães

25/08/2019 18:39

SEM PRESSA: Por Lena Rolim Guimarães

Os políticos costumam repetir que quem tem prazo não tem pressa. Esse certamente é o caso do governador João Azevedo em relação ao PSB, depois que a Direção Nacional, provocada pelo ex-governador Ricardo Coutinho e diretorianos alinhados ao seu projeto, dissolveu a Direção Estadual eleita e nomeou uma Comissão Provisória.

A dissolução ocorreu após a nomeação do então presidente Edvaldo Rosas para Secretário de Governo, a pasta financeiramente mais poderosa e responsável pela articulação política de João Azevedo. Teria como objetivo contê-lo e garantir a Ricardo o controle político do partido que prepara-se para disputar as eleições municipais de 2020, fundamentais para as gerais de 2022.

Quem apostou que João Azevedo partiria para uma briga fraticida para se impor, usando as armas mais poderosas que dispõe, o governo e a caneta, decepcionou-se. Ele marcou o primeiro ponto justamente ao diferenciar o que é governo e partido, deixado claro que as questões partidárias seriam decididas na esfera partidária.

Auxiliar próximo garante que a decisão não foi resultado de uma maquiavélica estratégia de resposta a Ricardo, a partir do seu temperamento e dos interesses dos seus seguidores. “Esse é o estilo de João. Ele não gosta de confrontos, não é autoritário”, avalia e acrescenta: “Está mais para a máxima de que quando um não quer, dois não brigam”.

João não usaria o governo contra Ricardo e os seus, mas ficaria no PSB após experimentar o golpe que sofreu? A confiança que um dia prevaleceu entre eles poderia ser restaurada ou estaria irremediavelmente comprometida?

As notícias sobre sondagens de partidos a João Azevedo ganharam manchetes. Quem não quer filiar um governador que tem pelo menos mais três anos e quatro meses de mandato e pode disputar a reeleição?

A mágoa existe, atestam aliados, mas João não pretende sair agora do PSB.

Como não será candidato em 2020, tem prazo e não tem porque se precipitar, principalmente quando depois das eleições terá como melhor se posicionar diante da conjuntura delicada do País. Pretende analisar com cuidado, mas sem perder de vista que não poderá ser lento se aparecer uma boa oportunidade.

Torpedo

“Um discurso forte, emocionante e rico em citações literárias que homenagearam grandes escritores paraibanos, pernambucanos e mundiais. Foi uma noite memorável”. Do ex-deputado federal, escritor e cronista Francisco Evangelista, na posse do novo imortal da APL, Roberto Cavalcanti.

Lado a lado

A posse de Riberto Cavalcanti na Academia Paraibana de Letras colocou, lado a lado, o prefeito Luciano Cartaxo (PV) e seu ex-vice-prefeito, Nonato Bandeira (Cidadania), politicamente rompidos há três anos.

Tempo

Bandeira é o atual Secretário Estadual de Comunicação, e tão logo deixou a mesa de autoridades foi cercado por políticos e jornalistas em busca de sinalizações sobre o destino de João. Frustrou quem esperava bomba.

Notáveis

André Carlos Torres Pontes (TCE), José Ricardo Porto (TRE), o desembargador Rogério Fialho (TRF-5) e a presidente da Academia Pernambucana de Letras, Margarida Cantarelli prestigiaram a posse.

A fórmula

Do 3° prefeito em exercício de Patos, Ivanes Lacerda (MDB):“Não há remédio doce para problemas amargos.(…) Tenho certeza que com gestão transparente, moralidade e responsabilidade venceremos os problemas”.

Virtual

A primeira Sessão Virtual da Comarca de Campina Grande já está agendada: dia 14 de outubro, às 14h, pela Turma Recursal Permanente, com os magistrados Alberto Quaresma, Érica Freitas e Adriana de Souza.

Cidadania

Graças a convênio firmado pelo Iesp com a Receita Federal e a Fazenda da Paraíba, será implantado o Núcleo de Apoio Contábil Fiscal. Com isso, os alunos poderão prestar atendimento à sociedade.

Zigue-zague

O presidente Donald Trump (EUA) falou por telefone com Jair Bolsonaro e vai apresentar a posição do Brasil na reunião do G7, sobre as queimadas na Amzonia.

Emmanuel Macron (França) pediu antes da abertura do evento que as potencias se mobilizem para ajudar Brasil e demais países afetados também com reflorestamento.