Início » Colunistas » PR COM MARANHÃO: Escrito Por Lena Rolim Guimarães 

PR COM MARANHÃO: Escrito Por Lena Rolim Guimarães 

8/07/2018 18:53 234 views
 

PR COM MARANHÃO: Escrito Por Lena Rolim Guimarães 

 
 

Nem bem a Copa do Mundo terminou para o Brasil e o candidato a governador pelo MDB, senador José Maranhão, já anunciava por rede social que fechou aliança com o PR do deputado Wellington Roberto, e que seu filho, Bruno Roberto será o vice-governador.

Se os políticos ganharam um tempo para tomar decisões em razão das atenções da maioria dos brasileiros estarem na Rússia, agora estão cientes de que voltarão a ser o foco das expectativas dos eleitores.

Quem não se apresentar com a segurança de um discurso politicamente definido e propostas em sintonia com as expectativas da população, vai perder espaços para a concorrência.

O tempo das análises e das conversas acabou. Chegou o das decisões, até porque estamos a apenas 12 dias do início do prazo para a realização das convenções que homologarão candidaturas e alianças, e a 39 dias do início da propaganda nas ruas e internet, inclusive comícios.

Assim, o PR foi o primeiro dos partidos do bloco dos indefinidos a fazer sua escolha. Passa a ser também o primeiro a se aliar com o MDB, acrescentando tempo de propaganda no rádio e na TV para o emedebista.

Maranhão conta que o acordo foi firmado em Condado, na casa do prefeito Caio Paixão. O PR participou do seu último governo (2009/2010), e apoiou sua candidatura em 2010. Em 2014 fez aliança com Cássio Cunha Lima (PSDB). Depois participou da base do governo de Ricardo Coutinho (PSB), que deixou no início do ano.

Agora, as expectativas continuam em relação a dois partidos: o PSC presidido pelo deputado Marcondes Gadelha e que conversa tanto com Maranhão como com Lucélio Cartaxo, e o PP, que além do bom tempo de propaganda, tem forte liderança em Campina Grande, e deve apresentar a candidatura da deputada Daniella Ribeiro ao Senado.

Lígia Feliciano, vice-governadora e candidata a governadora, também está sob holofotes por conta das negociações para uma aliança nacional entre o seu PDT e PSB do governador Ricardo Coutinho, em torno da candidatura de Ciro Gomes a presidente. Ela descarta recuo, mas em política nada é impossível.

As alianças são objetivos do momento. Depois, quem pode vai buscar lideranças que transferem votos, onde quer que estejam. A “guerra” só termina com o TRE anunciando resultados.

TORPEDO

É com muita satisfação que informo o apoio do deputado Wellington Roberto (PR) a nossa candidatura ao governo do Estado. A vaga de vice-governador fica com Bruno Roberto. (…) Sinto-me grato por tamanha confiança e feliz por poder contar com essas parcerias. (Do senador José Maranhão (MDB) anunciando via rede social a primeira aliança firmada para a disputa pelo governo).

Duas vagas

José Maranhão ainda tem as duas vagas para o Senado para tentar atrair partidos. Uma delas espera ceder ao PSC, que filiou o vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior, avalizando seu projeto de voltar ao Congresso.

Reação

Apesar dos problemas que enfrentou com o Maior São João do Mundo, o prefeito Romero Rodrigues encerra a festa tendo o que comemorar. Até um incêndio, sem vítimas, foi superado e projetou o evento de Campina.

Parcerias

No encerramento das festas juninas em Jacaraú, o candidato Lucélio Cartaxo (PV) aproveitou para defender parcerias entre Estado e municípios e criticar posicionamento do governador Ricardo Coutinho.

Parcerias 2

“Gestor com sensibilidade tem que deixar de lado as desavenças partidárias e trabalhar pela qualidade de vida da população, potencializando parcerias que permitam que as cidades cresçam”, alfinetou.

ZIGUE-ZAGUE

<Em 2016, a oposição conquistou 8 das 10 maiores cidades da Paraíba. Dois anos depois, já perdeu Bayeux e Cabedelo, agora administradas por gestores governistas.

>Pode perder também Monteiro, o 15° maior colégio eleitoral, que centraliza região com outros 16 municípios e 90 mil votos. O PSB está esperando a prefeita Anna Lorena.

www.reporteriedoferreira.com.br