Início » Colunistas » O jeito caipira de falar: Por Lillyane Rachel Menezes Ferreira. Jornalismo UFPB

O jeito caipira de falar: Por Lillyane Rachel Menezes Ferreira. Jornalismo UFPB

30/05/2018 08:36 403 views

O jeito caipira de falar: Por Lillyane Rachel Menezes Ferreira. Jornalismo UFPB

Pesquisa.

 

Algumas palavras ou expressões caipiras se tornaram bem conhecidas depois de aparecerem em livros, músicas, festas populares, novelas e filmes. Embora alguns termos tenham se originado de outros países e também de populações indígenas brasileiras, é com as pessoas do interior dos estados – principalmente na Região Nordeste – que elas ganham uma pronúncia diferente e um significado peculiar. Muitas já foram incorporadas aos dicionários de Língua Portuguesa.

Confira algumas e saiba o que elas significam.

NORDESTINO : Gente Feliz

“oxe”,
“mainha”,
“danôsse”,
“eita mulesta”,
“arrede o pé”,
“xero no cangote”,
“maluvido”,
“que presepada é essa?”,
“oh desmantelo”,
“visse?
“uó”,
“deixe de pantim”,
“caba da peste”,
“marrapaz/marmenino”,
“iapois?”,
“mundiça”,
“vareit”,
“fi duma egua”,
“catrevagem”,
“bom que só”,
“valei-me”,
“pegue o beco”,
“pia”,
“bença?”,
“virado na peitica”,
“cagada e cuspida”,
“deixe de aperreio”,
“se avexe não”,
“miserávi”,
“cabosse”,
“deixe de brabeza”,
“arriado os 4 pneus”,
“o pobe”,
“arrudeia”,
“onde eu fui amarrar meu jegue?”,
“o bixinho”,
“pare de bulir aí”,
“e foi, foi?”,
” vôti”,
“ah disgrama”,
“destá”,
“diabéisso?”,
“ta com a bixiga/mulesta”,
“infeliz das costas ôca”,
“ai dento”,
“lá em riba”,
“uma ruma”,
“sou teus pariceiro não”,
“feito a gota serena”,
“eu acho é pouco”,
“abestalhado”,
“num fresque não”,
“se não foi, eu cegue”,
“ta tronxo”,
“teteuba”.
” Tá arriado por ela ”
” Caçuá “.

Feliz dia dos donos das melhores gírias, do sotaque mais lindo, do povo mais alegre e mais arretado que existe.

Oxente, cê num ta vendo que a gente é Nordeste!

www.reporteriedoferreira.com.br