Início » Colunistas » O ATO DE CANTAR: Escrito Por Rui Leitao 

O ATO DE CANTAR: Escrito Por Rui Leitao 

5/03/2018 16:52 171 views

O ATO DE CANTAR: Escrito Por Rui Leitao 

“Está numa verdadeira animação!”. É assim que falamos quando vemos alguém cantando alegremente. Cantar é a mais autêntica expressão dos sentimentos e emoções. Mas não é só de alegria. É também quando nos sentimos melancólicos, saudosos, tristes. Porque o ato de cantar representa a manifestação da alma em qualquer que seja o seu o estado emocional.

Com o canto louvamos, protestamos, denunciamos, festejamos, demonstramos alegrias e tristezas. Miguel de Cervantes, por seu célebre personagem Dom Quixote, cunhou a famosa frase: “Quem canta seus males espanta”. E é uma grande verdade. Cantar faz a gente se afastar de vários sentimentos ruins. Tem um poder mágico de nos fazer viajar nos sonhos e nas fantasias; a saudade, a vontade enorme de esquecer o desagradável. O coração pungente, mesmo que chorando, recebe uma força analgésica de amenizar as dores quando nos propomos a cantar. Os negros africanos nas suas crises de banzo recorriam ao canto para buscar diminuir a dor da saudade.

É assim que se forma a temática das canções consideradas bregas, ou de “dor de cotovelo”. O cantor coloca para fora todo o seu sofrer por perdas amorosas, desgostos, decepções. No entanto, funciona como bálsamo para um espírito dolorido. Na voz coloca todo o lamento que se guarda no peito.

Cantar faz bem a saúde. Está provado cientificamente. Historicamente o ser humano faz do ato de cantar seu mais legítimo modo de dizer o que sente com um misto de contentamento e verdade. Para a dor é remédio. Para a alegria é festa. É assim que age o canto na nossa vida.

Cantar no banheiro, no Karaokê, numa apresentação profissional, num grupo, numa celebração, num ato de rebeldia, na proclamação de uma emoção, num ato religioso, o importante é que nunca deixemos de cantar. Deixar que nossa voz, mesmo que desentoada, extravase os sentimentos. Tim Maia disse certa vez: “Gosto de cantar com sentimentos. Se você não transmitir sentimentos, não atinge ninguém”.

www.reporteriedoferreira.com.br     • Integra a série de crônicas do livro “SENTIMENTOS, EMOÇÕES E ATITUDES”.