BESSA GRILL
Início » Colunistas » Moeda de Plástico: Francisco Nóbrega dos Santos

Moeda de Plástico: Francisco Nóbrega dos Santos

10/12/2012 17:32

 

O  progresso, com a natural mudança, trouxe ao mundo  evoluído (ou em evolução), consideráveis benefícios, sem os quais o mundo seria um pandemônio, em razão do crescimento desordenado da população buscando solução de problemas nos escaninhos da burocracia maior do que se possa imaginar.

A informática, como a responsável por essa transformação revolucionária, sem a qual estaríamos vivendo uma louca corrida contra o tempo.

Basta lembrar a informatização dos serviços bancários, além da dinâmica introduzida  no comércio e na indústria, flexibilizando a agilização dos mais diversos procedimentos, tais como compra, venda, escalonamento de parcelas e facilidade de financiamentos e outros formas de operações  financeiras.

Tudo bem. Tudo louvável e festejado em versos e prosas, especialmente para os grandes empreendedores, de modo especial os bancos e financeiras. Basta fazer uma pesquisa sobre a expansão  do fluxo de dinheiro nasw mãos de assalariados ou pequenos trabalhadores da informalidade.

Todos têm um Cartão Magnético e uma enormidade de serviços que facilitam a comodidade do povo, de modo especial, os menos abastados. Essa camada social que ostentam um cartão magnético que lhe proporcionada compra muita coisa, com prazo de se perdcr de vista. Aí mora o perigo dessa festejada moeda de plástico, pois dados estatísticos recentes dão conta de que o endividamento cresceu assustadoramente e o número de inadimplentes também aumentou.

Dessa ilação lógica verifica-se que essa massa desinformada caiu na armadilha preparada pelos grupos econômicos, que tem tirado proveito da falta de um planejamento natural ao cidadão inculto e inconsciente, que mergulha de cabeça na falsa vantagem e quando acordo do pesado só restam contas e desolação. Enquanto os banqueiros oferecem banquetes aos políticos, que agradecem em nome dos seus eleitores…