BESSA GRILL
Início » Colunistas » LEÃOZINHO: Escrito Por Rui Leitao 

LEÃOZINHO: Escrito Por Rui Leitao 

31/12/2018 18:07

LEÃOZINHO: Escrito Por Rui Leitao

Essa belíssima canção, lançada em 1977, gerou muitas controvérsias e polêmica, na curiosidade geral em saber quem teria sido o personagem que a inspirou. O próprio compositor se encarregou de responder a essa indagação, ao afirmar no seu livro SOBRE AS LETRAS que havia composto em homenagem ao contrabaixista Dadi Carvalho, que integrava o grupo NOVOS BAIANOS. Caetano fala que conheceu Dadi, em 1971, quando o músico tinha apenas dezessete anos, e teria se impressionado com a beleza do garoto. O potencial poético do compositor se revela na construção dos versos que compõem a letra da canção LEÃOZINHO.

“Gosto muito de te ver leãozinho/caminhando sob o sol/gosto muito de você, leãozinho”…”Gosto de te ver ao sol, leãozinho/de te ver entrar no mar, tua pele…”

Encantado com a beleza física do rapaz, Caetano resolveu lhe tratar por “leãozinho”, numa alusão à imponência majestosa do leão, considerado o rei dos animais. E também por pertencer ao signo de “leão”, assim como ele. Alguns chegaram a insinuar que a música seria uma declaração homoafetiva, no que é desmentido pelo compositor quando reitera que, verdadeiramente, era apenas uma manifestação de fascínio pela apresentação pessoal do músico.

Em todo o conteúdo poético da canção, percebemos como ele procura promover um relacionamento dos termos “leão” e “sol”, realçando a grandeza com que costumamos tratar o rei dos animais e o astro rei do universo.

Por isso ele diz que gosta muito de ver o garoto caminhando sob o sol, como se quisesse dizer que a luz solar oferecia maior formosura à contemplação do seu olhar. Eram majestades que se encontravam. Continua dando força à sua expressão de enlevo, anunciando que, nas oportunidades em que estava dominado por sentimentos de tristeza, bastava vê-lo para “desentristecer”.

Chama-o de “filhote de leão”, em razão da pouca idade que o músico tinha na época em que o conheceu. Não conseguia esconder o deslumbramento que a sua imagem lhe proporcionava. Seus olhos voltavam-se para ele como se fossem atraídos por um imã.

Seu coração tem impulsos de arrebatamento ao visualizar a incandescência que os raios solares produziam na sua pele, dourando por inteiro o seu corpo. Finaliza a canção repetindo o seu prazer em apreciar o que entendia como maravilhosa visão de beleza.

Claro que o lirismo da composição sugere uma inclinação para admirar, de forma um tanto chocante para os padrões de nossa cultura machista, a beleza de alguém do mesmo sexo. Caetano, ousa e fala abertamente o que pensa, sem medo de ser atacado pelos preconceituosos e falsos moralistas.

• Uma das crônicas inspiradas em letras das canções de Caetano Veloso, que farão parte do livro CAETANEANDO, programado para ser lançado no final do próximo ano.

www.reporteriedoferreira.com.br