Com os altos e baixos naturais ao próprio processo de desenvolvimento da sociedade paraibana, o futebol, como atividade social organizada alcançou todos os recantos do Estado, onde se constitui, ousamos dizer, a alternativa de lazer mais prestigiada e de maior apelo, merecedora, portanto, de atenções e cuidados que garantam a solidez e prestígio merecidos. Domingo fui acompanhado dos meus filhos e ainda dos netos Isaac e Marcos Neto, ao estádio “Almeidão” para prestigiar a final do campeonato paraibano 2017.

Em tempos de arena, o nosso glorioso “Almeidão” está muito bem cuidado, com direito até elevador, estacionamento amplo e iluminado, além do necessário fácil acesso e guarnição da Polícia Militar para garantir a segurança do espetáculo. Quando entrei no estádio não pude deixar de fazer uma viagem aos idos dos anos 80, quando participei ativamente do futebol paraibano como Superintendente dos Estádios da Paraíba – SUDEPAR.

Esta divagação inclusive me fez recordar da emblemática vitória do Botafogo da Paraíba, quecontra todos os prognósticos, venceu o Flamengo-RJ em pleno Maracanã. Mas, não um Flamengo qualquer. Era o Flamengo de Zico, Júnior, Adílio, Andrade e Carpegiani. Um time que conquistaria o Brasil naquela mesma temporada e que apenas um ano depois seria campeão do mundo.

Concordo que o estádio precisava de modernização em vários aspectos, que o dotassem de mais tecnologia e conforto, no entanto como saudosista, o futebol era muito diferente da atualidade era mais amor e paixão. A capacidade foi sensivelmente diminuta, onde já coube mais de 40 mil, hoje só comtempla 25 mil pessoas e infelizmente aliado a violência, crise financeira, minou a ida do grande público, que deixou de lotar o estádio.

Apesar de tudo, o Botafogo-PBfazendo história sagrou-se Campeão Brasileiro da Série D 2013 uma façanha que jamais irei esquecer, e domingo, após um grande campeonato sagrou-se pela 29º campeão paraibano, contra o Treze Futebol Clube, agremiação amada com fervor por minha saudosa Mãe.

A partida foi eletrizante, que deu ponto final ao Campeonato Paraibano 2017, teve direito a gols para ambos os lados, inclusive, com jogadores expulsos e muita comemoração ao final. Apesar da prenuncia de violência, o desfecho do campeonato foi de bastante tranquilidade e harmonia, mesmo com estádio quase lotado, a torcida paraibana e principalmente do Belo, fez bonito.

Aliás, a Federação Paraibana de Futebol está de parabéns pela organização do campeonato e de sua final. Parabéns ao Botafogo campeão paraibano de 2017!

Marcos Souto Maior é advogado, professor de direito, ex presidente do Tribunal de Justiça da Paraiba, Ex secretario de Cultura, Esporte e Turismo, ex secretário de Serviço Social, ex diretor do Unipê e Desembargador aposentado.

www.reporteriedoferreira.com.br

(*) Desembargador aposentado