BESSA GRILL
Início » Colunistas » Coisas da Mídia

Coisas da Mídia

22/12/2012 22:01

 

Certo dia, não  me recordo precisamente a data só me Lembro bem que era um dia de semana, isto é, um dia útil para quem gosta de trabalhar, porém inútil para os inimigos do trabalho. Estava eu bem próximo de um televisor quando um diálogo me chamara a atenção. Tratava-se um programa musical e um desses divulgadores da mídia, cujo nome não guardei na memória, mas vamos aos fatos.

O apresentador entrevistava um cantor com enorme venda de CDs no mercado. O interlocutor falava com tanto entusiasmo que me senti curioso em saber do que se tratava. O entrevistador, após rasgados elogios ao entrevistado, falou sob obra prima, da aceitação da música em todo território brasileiro, e tratava o assunto como se estivesse falando de uma peça de arte ou de uma literatura erudita.

A minha curiosidade foi aumentando e eu, perdendo uma parcela do meu corrido tempo, mesmo com certa impaciência, esperei o desfecho daquele entusiástico bate papo, que começou, após alguns minutos de enrolação e de suspense, ante o aguardado motivo de tanta rasgarão de seda. Então o entusiasmado repórter indagou; – em que o nobre poeta se inspirou para editar essa bela melodia que tem encantado a juventude desse imenso território. A resposta foi rápida; andando por aí, sondando a genialidade da juventude e, num momento de rara inspiração, fui pondo em prática os fatos e criei tão importantes acordes que caíram como uma luva nos apreciadores da poesia e da arte literária.

Genial, falou o entrevistador, você tá vivendo o grande momento da criatividade do nosso povo e, nessa oportunidade, meus parabéns pelo estouro no mercado dessa bela letra e romântica  música”, concluiu o apresentador. E, para finalizar essa importante entrevista, gostaria que o nobre artista desse uns acordes e cantasse um trecho da melodia”. Incontinenti o autor da maravilha  musical anunciada soltou sua voz assim; tererê Tetê… tererê Tetê, tererê Tetê. Confesso que, a princípio fiquei irritado por ter aguardado ansioso o nome da obra prima. Deixa isso prá… A mídia tá no seu papel.