BESSA GRILL
Início » Colunistas » AS FRONTEIRAS DA SUBALTERNIDADE SENDO ROMPIDAS: Escrito Por Rui Leitao 

AS FRONTEIRAS DA SUBALTERNIDADE SENDO ROMPIDAS: Escrito Por Rui Leitao 

20/03/2019 16:30

AS FRONTEIRAS DA SUBALTERNIDADE SENDO ROMPIDAS: Escrito Por Rui Leitao

Deixemos de lado as preferências políticas, basta apelar a um mínimo de senso crítico, para concluirmos de que estão colocando o nosso país num nível de subalternidade jamais visto desde a proclamação da sua independência. Estamos sendo levados no deboche pelo mundo inteiro. Nos agachando vergonhosamente perante os interesses comerciais dos EUA. Temos um presidente que deseja ser uma cópia de Trump. Fica orgulhoso quando dizem: “ele é o Donald Trump dos trópicos”. A que ponto nós chegamos!

Embora não possam ser consideradas surpresas as peraltices de ridículo servilismo do nosso presidente em solo americano, jamais poderíamos imaginar que chegasse a tanto a sua postura subalterna. Mas, em uma coisa devemos ser justos, quanto a isso ele não enganou ninguém. Ainda em campanha, no ano passado, ele prestou continência à bandeira nacional dos Estados Unidos, numa inacreditável reverência cívica. Parecia que estava homenageando o pavilhão nacional brasileiro. Portanto, está correspondendo ao que se mostrou durante o processo eleitoral.

Rompemos espetacularmente as fronteiras da subalternidade. O princípio da reciprocidade, respeitado pelas grandes nações do mundo, foi escandalosamente ignorado quando, por uma decisão unilateral, foram dispensados os vistos para entrada em nosso território pelos americanos, canadenses, japoneses e australianos. Com essa medida muitos brasileiros foram condenados à condição permanente de imigrantes ilegais. Porque facultarmos a outros aquilo que eles insistem em nos negar? Nossos avós já diziam, quem muito se agacha termina mostrando as nádegas

Num excesso de bajulação agrediu os imigrantes que estão residindo nos Estados Unidos, incluindo aí seus compatriotas, afirmando que a maioria que vai para lá não está imbuída de boas intenções e não deseja o bem dos americanos. Embora, menos de vinte e quatro horas depois, como de costume, tenha recuado e dito que cometeu um equívoco.

Tudo conforme o que classificava Nelson Rodrigues como sendo “complexo de vira latas”. A ideia de tratar seu próprio país numa escala de segunda categoria. Mais grave ainda ao se observar que esse comportamento parte do primeiro mandatário da nação. A nossa credibilidade, certamente, foi arranhada.

Citei apenas alguns tópicos de sua agenda entreguista em terras norte-americanas. Uma posição humilhante que nos deixa encabulados, para usar um termo bem nordestino.

www.reporteriedoferreira.com.br