BESSA GRILL
Início » Colunistas » A MÚSICA COMO AGENTE POLÍTICO: Escrito Por Rui Leitao 

A MÚSICA COMO AGENTE POLÍTICO: Escrito Por Rui Leitao 

29/07/2018 18:29

A MÚSICA COMO AGENTE POLÍTICO: Escrito Por Rui Leitao 

Sem dúvida a música é uma das formas mais interessantes de se chamar a atenção para a politica. Essa relação entre a música e a política tem servido ao longo dos tempos para sacudir consciências e exercer uma força revolucionária contra a paralisia social. A música popular brasileira tem sido no curso de nossa história recente uma das mais importantes manifestações de resistência democrática. Ela consegue por suas mensagens ou eventos artísticos com motivações polítcas, tirar a sociedade do seu imobilismo diante dos arbítrios, dos ataques aos princípios da liberdade, dos desrespeitos à cidadania e à soberania nacional.

Só através da censura se consegue diminuir a força invasiva no consciente coletivo que a arte musical produz. Porque ela assume uma função agregadora, catalizadora, estimuladora de movimentos de ação popular. Através da sua linguagem poética se faz o discurso da indignação, do protesto, da crítica social, da proposta de mudança, da inconformação.

E nem sempre é preciso que as canções tragam em suas letras mensagens de conteúdo político, basta que os compositores ou seus intérprettes tenham, por sua produção musical, vinculaçao com os movimentos de enfrentamento ás afrontas praticadas ao bem estar social. Quando os principais compositores ou intérpretes da nossa música resolvem se reunir para a realização de um evento com objetivos políticos, essa atitude revela-se uma estratégia com forte potencial de influência na consciência de um povo.

Foi o que aconteceu ontem a noite nos Arcos da Lapa, no Rio de Janeiro, quando uma multidão se fez presente para ouvir seus artistas preferidos e unir suas vozes ao canto da resistência democrática em favor da liberdade. Ali a música foi instrumento de estímulo ao engajamento político de uma luta. O evento simboliza uma reação popular de insatisfação com o estado de coisas que está a predominar em nosso país, consolidando a arte como agente ativo de transformação no campo político.

www.reporteriedoferreira.com.br