BESSA GRILL
Início » Colunistas » À ESPERA DE UM MILAGRE Por Francisco Nóbrega dos Santos

À ESPERA DE UM MILAGRE Por Francisco Nóbrega dos Santos

7/12/2018 11:28

À ESPERA DE UM MILAGRE

Por Francisco Nóbrega dos Santos

O povo brasileiro sente-se orgulhoso por viver numa terra onde “em se plantando tudo dá”. É uma ilusão que se eterniza no tempo, se fortalece na sublime ignorância e se perpetua na ingênua mentalidade dos que habitam esse solo tão festejado.

E a vida continua no secular marasmo, alimentado por uma casta que faz do povo trampolim, para se escudar num falso moralismo, objetivando a perpetuação no poder ou transformando-o em cargo público  vitalício para, no ocaso, passar o bastão aos descendentes ou compromissados, futuros protetores dos vícios e falcatruas comuns á classe dos agentes políticos, detentores mandatos ou cargos, num processo contínuo de corrupção.

Esse quadro secular, em que se aperfeiçoam os mecanismos de burlar as normas de dúbia interpretação,  em que se utilizam artifícios por dúbias normas criadas e editadas pelos mesmos beneficiários e/ou aplicadores de tais dispositivos, contribuindo para o desvirtuamento do provérbio “o crime não compensa”.

E os deturpadores da vigente Constituição Brasileira, que passou a ser denominada de Cidadã, ante  o seu alcance social. Maquiavelicamente são violados, com a omissão dos poderes, dispositivos auto-aplicáveis, como também direitos susceptíveis de regulamentação. E Essa liberdade (que derivou para a libertinagem) suprime a disponibilização dos meios de se buscar o direito negado ou burlado pela vontade dos detentores ou aplicadores da lei, que são harmônicos e independentes para legislar em causa própria

Acontece que o povo brasileiro em sua sublime indiferença ignora a existência dos instrumentos que protegem o direito adquirido, a coisa julgada e o ato perfeito. E os poderes, acobertados pela farta ignorância que se acomoda em cada brasileiro, deixa a mercê da própria sorte ou que tudo seja absorvido pelo tempo.

E assim caminha considerável parcela da sociedade, que sofre com um grito preso na garganta mas espera o milagre, sem procurar essa dádiva que só o céu pode dar. Deixa-se levar pelo fracasso e desiste da busca. E assim caminha a população brasileira, entregue ao Deus dará…

Muitos brasileiros, contaminados por uma ideologia e contagiados por programas que alimentam o ciclo vicioso, de uma política assistencialista, vivem à espera de uma falsa ideologia, de uma ilusória aurora vermelha, ou seja, de um comunismo, cuja experiência frustrou alguns países que viveram e ainda vivem sob a égide de ditaduras cruéis, que alimentam o sonho de políticos, de falso idealismo, espelhado em detentores de poderes ditatoriais, que levaram  povos a uma viagem de ida sem volta.

Nas eleições recentes o Brasil viveu momentos de incerteza entre uma democracia endurecida ou um comunismo ilusório e mutilador das instituições democráticas.

Foi precisou que surgisse uma bandeira isolada, destemida, dimensionada em três letras PSL, sem aconchego de raposas velhas da política já por demais comprometidas com a orgia disseminada nas três esferas do poder. E essa bandeira tremulou num desejo ousado de um cidadão brasileiro que, desafiando o império da corrupção, proferiu um grito de “basta de desmando”, e se transformou num fenômeno nunca visto pelos habitantes dessa terra invadida por Portugal.

Agora, afastado pesadelo uma “cubanização”, sonhada por uma massa desinformada ansiando, para o início do ano 2019 a fantasiosa AURORA VERMELHA, possivelmente chegará o CREPÚSCULO MULTICOR de uma plêiade de aventureiros, corruptos, saqueadores que impiedosamente levaram o País à bancarrota, no intuito de instalar um regime de exceção que apenas serve para desvirtuar o mundo com  o renascimento de uma escravidão de tristes lembranças de passados distantes e que não voltarão, pois o MESSIAS ofertou a graça ao MESSIAS Bolsonaro de firmar na TERRA PROMETIDA nos discursos demagógicos dos que se julgavam os senhores feudais mas   estão e serão expurgados pelas urnas, numa demonstração inequívoca de que uma grande parcela dessa falida terra, já despertou para a realidade. “Deus seja louvado! GLÓRIA A DEUS.”

www.reporteriedoferreira.com.br