BESSA GRILL
Início » Colunistas » A ALIENAÇÃO: Escrito Por Rui Leitao

A ALIENAÇÃO: Escrito Por Rui Leitao

7/07/2019 15:39

A ALIENAÇÃO: Escrito Por Rui Leitao

A alienação é a maneira mais fácil de contribuir com a destruição do orgulho próprio. A mais eficiente forma, estrategicamente montada, para que as pessoas passem a entender que os interesses das classes dominantes se sobreponham sobre os interesses coletivos. Os alienados são vítimas de uma manipulação ideológica, imposta por grandes veículos de comunicação e intelectuais a serviço de uma tática política que teima em estabelecer uma verdade única.

A alienação estimula um sentimento derrotista, de inferioridade que leva quase ao desânimo, à consciência de que tudo está perdido e não adianta lutar contra a maré. O objetivo é fazer com que os indivíduos, cada vez mais, fiquem coniventes com a interpretação dos fenômenos políticos, sociais e econômicos proclamados maquiavelicamente por quem manipula, submetendo-os a um estado de despersonalização, falta de conhecimento da realidade. A mídia procurando dirigir a vontade das massas, sem questionamentos ou avaliação crítica e racional dos acontecimentos.

O alienado se preocupa apenas com o que lhe interessa de imediato, despreza a capacidade de agir e de pensar por si próprio, perde a identidade individual, renuncia à condição de agente construtor da História. Decide ser comandado por influência da propaganda e do discurso ideológico de conveniências políticas. A publicidade direcionada a colocar como verdades apenas o que convém aos seus interesses.

Crescer o número de alienados significa dizer que suas idéias ficarão mais fáceis de serem aceitas. As questões estruturais que preocupam a todos ficam em segundo o plano, dedicando-se a concentrar foco em denuncias forjadas, potencialização de mentiras divulgadas, desqualificação de quem se posiciona de forma contrária. Os incendiários sabem se aproveitar bem dessas situações, conquistando a adesão dos alienados para os seus projetos políticos. E muita gente embarca na “onda” alienante, sem perceber que estão sendo usados como “massa de manobra”, inocentes úteis.