BESSA GRILL
Início » Cidades » Sindicato aciona MPT contra demissões de jornalistas na Paraíba

Sindicato aciona MPT contra demissões de jornalistas na Paraíba

7/02/2016 16:24
V_MQF2I-1Uma onda de demissão em massa de jornalistas nos veículos de Comunicação da Paraíba mereceu hoje uma nota de repúdio emitida pelo Sindicato dos Jornalistas da Paraíba. O texto cita que foram dispensados 25 profissionais em 2015 e mais 15 apenas no primeiro mês de 2016, espalhando “um clima de terror e aumentando os casos de assédio moral nas redações”. Mais do que isso, a entidade informou que vai acionar o Ministério Público do Trabalho para tentar reverter o quadro, justificado como decorrente de uma crise econômica, em proporções contestadas pelo sindicato:
“Este discurso mentiroso de crise é um velho conhecido. Em todas as campanhas salariais, ao longo dos anos, as empresas sempre alegaram que “trabalham no vermelho”. Ao mesmo tempo, fazem muita propaganda do tipo: “somos líderes de audiência”, “jornal mais vendido”, “site mais acessado”. Concretamente, não param de expandir seus negócios para áreas como TV por assinatura e abocanham novas concessões de TV aberta, transformando-se em impérios midiáticos com grande poder político, inclusive”, diz a nota do sindicato, que pode ser conferida na íntegra a seguir.
SINDICATO DOS JORNALISTAS PROFISSIONAIS
DO ESTADO DA PARAÍBA
 
NOTA DE REPÚDIO 
 
Em 2015, as empresas de comunicação da Paraíba demitiram cerca de 25 jornalistas e outros tantos funcionários. Neste início de 2016, mais demissões. Até agora, já estão confirmadas pelo menos 15 só entre os jornalistas de João Pessoa e Campina Grande, espalhando um clima de terror e aumentando os casos de assédio moral nas redações.
As empresas alegam que a culpa é da crise econômica do Brasil, da crise do jornal impresso, etc. A verdade, porém, é que elas obtêm altíssimos lucros pagando baixos salários aos jornalistas, forçando-os a atuar em vários veículos do mesmo grupo, sobrecarregando-os para dar conta do trabalho dos demitidos ou contratando ilegalmente pessoas sem registro profissional, estagiários e até jovem aprendiz.
Este discurso mentiroso de crise, aliás, é um velho conhecido. Em todas as campanhas salariais, ao longo dos anos, as empresas sempre alegaram que “trabalham no vermelho”. Ao mesmo tempo, fazem muita propaganda do tipo: “somos líderes de audiência”, “jornal mais vendido”, “site mais acessado”. Concretamente, não param de expandir seus negócios para áreas como TV por assinatura e abocanham novas concessões de TV aberta, transformando-se em impérios midiáticos com grande poder político, inclusive.
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Paraíba repudia essa onda de demissões e irá requerer ao Ministério Público do Trabalho a reversão desses atos irresponsáveis e imotivados. Vamos defender o emprego dos nossos colegas e condições dignas de trabalho para os jornalistas.
 
 
João Pessoa-PB, 04 de fevereiro de 2016
A DIRETORIA
www.reporteriedoferreira.com