BESSA GRILL
Início » Cidades » SEM NENHUMA VERGONHA: Marcos Souto Maior

SEM NENHUMA VERGONHA: Marcos Souto Maior

6/08/2013 01:35

Marcos-Souto-Maior

 

 

SEM NENHUMA VERGONHA!

MARCOS SOUTO MAIOR (*)

 

Apesar de uns poucos brasileiros não se incomodarem com o futebol brasileiro, a maioria é sempre esmagadora por ser assunto sempre presente em todo canto.

A história futebolística nacional teve seu primeiro desencanto em 1950 quando o Brasil sediou a Copa do Mundo na sua quarta edição, com jogos espalhados entre Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro de São Paulo. Começando por golear a Suécia por 7 x 1 e Espanha 6 x 1 e jogadores como Ademir Menezes, Jair Rosa Pinto, Zizinho e o goleiro Barbosa, que chegou à final mas sem reeditar a boa performance.

Final da Copa de 50, claro que foi no Maracanã, em 16 de junho daquele ano com o público recorde e a euforia do povo brasileiro que confiava na sua seleção. A presença de Jules Rimet demonstrou o interesse pelo nosso país e, mais tarde rotularam seu nome no maior troféu de futebol mundial!

A FIFA registrou, naqueles tempos, a presença de nada menos que 173.830 torcedores em todos os setores, que pagaram ingressos, mas fala-se que o público chegou ao extravagante número de 220 mil pessoas presentes ao Maraca.

Como todos sabem, o Brasil jogava pelo simples empate e, mesmo assim perdeu do Uruguai por 2 x 1 com a culpa recaindo no grande goleiro Barbosa. Naquele momento emocional entre choros, lágrimas e palavrões tinha que alguém oferecer uma face para que batam até sangrar…

Tempo passou, e nova sede de Copa do Mundo foi novamente “sorteada” aqui no Brasil para 2014, com estádios ainda engatinhando para poder andar e abrir seus portões para a vibrante torcida brasileira. O time até que caiu no gosto da torcida que aguarda o próximo ano.

Quando tudo estava convergindo para sucesso, eis que o respeitado time brasileiro, onde pontificaram rei Pelé, Coutinho, Pepe, Gilmar, Carlos Alberto Torres, Djalma Dias, Rildo, Clodoaldo e tantos outros “reis do futebol brasileiro”, caiu na esparrela de marcar amistoso na Espanha, enfrentando o Barcelona de Messi, com troco em nome do nosso Neymar.

Tive a infelicidade de assistir, pela televisão, o que seria um espetáculo futebolístico mundial para tornar-se numa pelada onde o Barça deitou e rolou em cima do falido Santos, impiedosamente desmoralizado numa lavagem nunca dantes vista pelos brasileiros!

A goleada de oito gols do Barcelona, contra zero do Santos de Pelé é uma esculhambação que exige explicações do atual presidente do Santos, o desconhecido Luiz Álvaro Ribeiro, a começar raspando a barba rala para a gente vermos a cara como ela é…

O plantel santista merece, urgentemente, reforço para se nivelar aos demais times do país e do exterior, voltando a satisfazer sua exigente torcida e simpatizantes.

A vergonha é algo que não depende de nós, contudo, daqueles que não avaliam os limites e consequências do ridículo, manchando a glória conquistada no passado de muito suor, amor, dedicação e responsabilidade.

   (*) Advogado e desembargador aposentado