BESSA GRILL
Início » Cidades » QUE VENHAM OS GOLPISTAS: Fabiana Agra

QUE VENHAM OS GOLPISTAS: Fabiana Agra

16/03/2015 00:18

Que venham os golpistasQUE VENHAM OS GOLPISTAS:

Fabiana Agra é advogada e jornalista.  

 

 

Confesso: eu esperava pouco dos atos programados para ontem, sexta-feira 13. Explico: como em qualquer democracia do mundo, logo que reassumiu a presidência, Dilma jogou seus pacotes impopulares mas necessários, para tentar conter a crise que já galopeia. Aí não tem jeito, estrebucha da madame que vai a Miami quatro vezes por ano ao vendedor de picolé na praia; reclama do que passeia a bordo de um Porsche, àquele que conserva seu Fusca desde os anos 70. Tendo por base essa simplória constatação, subestimei mais uma vez o povo brasileiro – e pude constatar, feliz da vida, que o povo brasileiro e a nossa democracia amadureceram!

A lógica é que amanhã, domingo 15, os golpistas coloquem muito mais gente nas ruas. É o que espera-se: domingo à tarde, nada para fazer e a mídia fazendo o chamamento. Porém, seja qual for o número de revoltontos nas ruas, a tentativa de golpe morreu antes de nascer, quando milhares de brasileiros tomaram as ruas em 23 estados e no Distrito Federal, durante manifestações pacíficas em defesa da democracia e do governo da presidenta Dilma Rousseff.

A grande adesão as manifestações dessa sexta é prova do forte apoio ao governo da presidenta Dilma e pelo que pude ver através da blogosfera – já que a mídia golpista boicotou os eventos –, foram passeatas entusiasmadas e participativas mesmo debaixo de chuva, como em São Paulo, que reuniu aproximadamente 100 mil pessoas na Avenida Paulista. Essa quantidade de gente na capital do conservadorismo e do golpe? Eu não esperava nem no meu melhor sonho! De tudo o que observamos, fica constatado que os movimentos sociais estão unidos para defender o Brasil. E, mesmo que a oposição se aproprie de uma “lógica de impeachment golpista”, os partidos progressistas e os movimentos sociais não irão permitir.

Na contramão do dever de informar, toda a velha mídia golpista composta pela Rede Globo e demais TVs abertas, as rádios CBN e BandNews, revistas Veja, Época e Istoé e os jornais Folha de S. Paulo, Estadão e Gazeta do Povo simplesmente deixaram de divulgar o ato de ontem pela democracia. Já o ato do dia 15, que  defende o Impeachment da presidenta ou a “intervenção militar”, está tendo ampla cobertura e convite por parte de uma imprensa cada vez mais desfocada e prestes a sucumbir diante do crescimento da blogosfera. Foi esta a impressão que tive, quando a hashtag #GloboGolpista foi o assunto mais comentado do Twitter no Brasil por mais de 24 horas, do dia 12 ao dia 13 de março. Um recorde absoluto. Os usuários da internet, a cada dia mais numerosos, pelo jeito irão enterrar de vez a velha mídia brasileira.

Mas vem chumbo grosso por aí: a direção de jornalismo da Globo, por exemplo, já convocou jornalistas para fazer cobertura ao vivo dos atos desde o domingo cedo e já teria informado que vai usar o Globo Notícia para criar um clima mais quente da cobertura. Os desmandos da “Vênus platinada” não param por aí: o movimento golpista “Vem Pra Rua”, um dos idealizadores do protesto, divulgou pelas redes sociais uma série de vídeos com atores da Rede Globo convocando a população a participar das manifestações. Dentre os “globais” que gravaram depoimentos estão os atores Marcio Garcia, Christine Fernandes, Malvino Salvador, Marcelo Serrado, Alessandra Maestrini e Kadu Moliterno, dentre outros. Outros famosos como o ex-jogador de futebol Ronaldo Fenômeno e a cantora Wanessa Camargo também confirmaram que irão participar das manifestações deste domingo.

Já o SBT, do empresário Silvio Santos, abriga hoje em seus quadros dois dos principais propagandistas da ruptura democrática no País: Raquel Sheherazade e Danilo Gentili. Enquanto ele divulga vídeos convocando o impeachment, ela usa seu Twitter para disseminar ódio e preconceito, em mensagens como “Vai pra Cuba, Dilma”. Porque assim é bem mais fácil juntar milhares de desavisados, não é mesmo?

Sim, os golpistas – falando em volta dos militares e outras loucuras – vão levar muita gente pra rua no dia 15. Mas a força deles será também a sua fraqueza. Como bem lembrou Rodrigo Vianna no site da Revista Fórum, “Já erraram a mão. Assustaram o povo moderado”. E Vianna continua, magistralmente: “Dilma começou o segundo mandato errando muito: desagradou seu eleitorado. Está sob ataque no Congresso, e na mídia. E aí aparecem os tucanos: ‘vamos sangrar a Dilma’. E seus eleitores finíssimos, os paneleiros: ‘vaca, puta, ladra!’. Olha só: até quem não gosta da Dilma, nunca gostou, está ressabiado com esse clima de ‘esfola e mata’. A direita vai reunificar a base do governo nas ruas”. O jornalista escreveu seu artigo às 00h37 do dia 12 de março – e acertou na mosca!

E eu, que passei os últimos dias praticamente sem dormir, travando o embate virtual, pelas redes sociais, em defesa da nossa democracia, irei dormir hoje mais tranqüila. Sim, serão milhares de golpistas e “marias-vão-com-as-outras” a desfilarem pelas ruas do país nesse domingo 15. Mas eles não passarão. A tentativa de golpe foi calada pela voz potente de milhares de sindicalistas, de professores, de sem-terra, da massa inquieta dos partidos de esquerda, dos estudantes, e de todos aqueles que querem a permanência da democracia.

Tem mais: por ironia da História, os golpistas e a mídia que os alimenta conseguiram fazer o que Lula e Dilma não conseguiram: unir as esquerdas do Brasil. E agora, não tem mais quem segure este povo, cujo grito de guerra ecoou pelos quatro cantos do país: “pisa ligeiro, pisa ligeiro, quem não pode com formiga, não assanha o formigueiro”. Foi bem mesmo como disse Vianna: “Esses tucanos… São Lacerdas desajeitados”.

As manifestações de ontem foram apenas um ensaio geral, que desfilou o seu lema: não tentem ferir de morte a nossa democracia porque nós não iremos deixar. E deixaram um recado ainda mais claro: quem sair às ruas dia 15 vai ficar carimbado para toda a vida como um golpista – com apoio da velha mídia golpista, dos empresários milionários e do mercado internacional.

* Fabiana Agra é advogada e jornalista.

www.reporteriedoferreira.com