BESSA GRILL
Início » Cidades » A PARTIDA DE UM LÍDER: Escrito por Francisco Nóbrega dos Santos

A PARTIDA DE UM LÍDER: Escrito por Francisco Nóbrega dos Santos

24/12/2014 10:15

Francisco-NóbregaA PARTIDA DE UM LÍDER:

Escrito por Francisco Nóbrega dos Santos

 

Continua viva na minha lembrança a presença de um líder político em todos os eventos (políticos ou sociais); de um irrequieto cidadão, com sua experiência de luta e conquistas de direitos das diversas camadas da sociedade.

No  final da década de 50 chegava eu à João Pessoa, em busca de um sonho, alimentado pela esperança de viver e prosperar. E aqui chegando ingressei na Prefeitura da Capital, ainda na gestão do saudoso Apolônio cuja gestão fora direcionada aos pobres e desvalidos. E eu me sentia incluído nesta lista.

Logo no início da minha trajetória tive a felicidade de conhecer um líder político, vindo das lutas sindicais contra as desigualdades sociais e outros males comuns à classe pobre. Esse personagem era CABRAL BATISTA, que tive a felicidade de conhecê-lo e Admirá-lo como um homem público, influente, articulador político e, sobretudo humano.

Experimentou o primeiro mandato de vereador e, pela vontade do povo, permaneceu por 36 anos. Só deixou o Legislativo Municipal, quando desistiu de ser candidato, embora não tenha abandonado a política, que ao longo dos anos exercera cargos públicos na administração municipal. E na sua trajetória como vereador, exerceu os mais importantes cargos na mesa diretora do Legislativo Municipal, além de, por várias oportunidades ocupar o cargo de Prefeito da Cidade, embora em curtos mandatos, era festejado pelo povo pessoense,  como reconhecimento em razão de longa passagem pela vida da cidade, onde deixou um marco de homem público amado por quem o conhecia e reconhecia seu trabalho.

Já com o peso da idade com a qual muitos vestiriam o pijama, CABRAL proporcionou a alegria da grande massa de pessoenses  ou egressos de cidades adjacentes, frente à Federação Carnavalesca do nosso Estado. E a cada carnaval via-se Cabral, com uma energia jovial e o sorriso de um adolescente, numa demonstração de prazer e realização.

Agora, aos 96 deixa o mundo da existência com a certeza de que cumpriu sua missão aqui na terra, pois no dia 31 de outubro deste ano, partiu e deixou uma lacuna difícil de ser preenchida, pois já não se fazem homens públicos como antigamente. QUE DEUS O TENHA, MESTRE CABRAL.

Reporteriedoferreira.com