BESSA GRILL
Início » Cidades » O SHOW “ATLÂNTIDA” E O ÁLBUM “PARAÊBU”: Escrito Por Rui Leitão

O SHOW “ATLÂNTIDA” E O ÁLBUM “PARAÊBU”: Escrito Por Rui Leitão

11/08/2015 11:02

O SHOW “ATLÂNTIDA” E O ÁLBUM “PARAÊBU”: Escrito Por Rui LeitãoRui Leitão 02

Cansado de restringir seu talento para a música à participação em bandas de rock que animavam os bailes da geração “Jovem Guarda”, Zé Ramalho decidiu abandonar o grupo “Os Quatro Loucos”, do qual era um dos seus integrantes, para enveredar pelos caminhos da música autoral, fazendo carreira solo.

Em maio de 1974, com show programado para o Teatro Santa Roza, Zé Ramalho apresentou “Atlântida”, era um espetáculo musical produzido por Onaldo Mendes, com Eduardo Stuckert sendo responsável pela iluminação e som, enquanto Raul Córdula cuidava da programação visual e ambiente. Misturava o repente nordestino com o rock internacional dos anos cinqüenta, o blue com a cantiga do sertão. Nascia um novo estilo na música brasileira, com a marca registrada da propriedade intelectual e artística de Zé Ramalho.

Entusiasmado com esse trabalho, nosso conterrâneo procurou conhecer Lula Tôrres, por recomendação de Raul Córdula. O multiartista pernambucano liderava em Recife um movimento que fundia o psicodélico, a música nordestina e o rock. Era tudo o que Zé Ramalho queria naquela época. Aceitou de pronto a proposta de Lula Tôrres para produzirem o álbum “PARAÊBU – o Caminho da Montanha do Sol”, inspirado no sítio arqueológico da Pedra do Ingá.

Em 1975 gravaram o disco na Rozemblit. Entretanto foram surpreendidos por forte enchente na cidade de Recife naquele ano, com as águas levando cerca de mil e trezentas cópias, restando apenas trezentas que estavam na casa de Lula Côrtes. Em razão disso, esse álbum tornou-se o mais caro disco de vinil da história musical brasileira. É uma raridade cobiçada pelos que colecionam a discografia nacional.

Esses dois eventos deram início à consagração de Zé Ramalho como compositor e cantor, sendo apontado como uma das maiores expressões do nosso cancioneiro. Importante resgatar a memória desses acontecimentos para que a geração atual saiba como surgiu a extraordinária obra musical de Zé Ramalho.

• Integra a série de textos “INVENTÁRIO DO TEMPO !!”.

www.reporteriedoferreira.com